X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Para evitar aglomeração, veja o que pode e o que não pode na campanha

| 19/10/2020 18:59 h | Atualizado em 19/10/2020, 20:07

Urna eletrônica:  eleições 2020 foram adiadas por causa da pandemia
Urna eletrônica: eleições 2020 foram adiadas por causa da pandemia |  Foto: Arquivo/AT

Os candidatos aos cargos de prefeito e vereador no Estado já estão em campanha para apresentar as propostas e conquistar eleitores pelas ruas das cidades onde concorrem. Para ganhar a o voto, os postulantes à prefeitura e à Câmara de Vereadores realizam ações como caminhadas com apoiadores e reuniões com as comunidades.

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, com apelo das autoridades de saúde para que as pessoas mantenham distanciamento, usem máscara e higienizem frequentemente as mãos para evitar a transmissão do vírus, como fica a campanha eleitoral?

Nos pleitos anteriores, a cena mais comum era ver candidatos percorrendo bairros com dezenas de cabos eleitorais, realizando bandeiraços, abraçando moradores nas ruas e em feiras. Apesar da pandemia, nos programas eleitorais é possível ver candidatos realizando eventos em bairros com apoiadores e moradores.

A infectologista Rúbia Miossi ressalta que, no momento pelo qual passamos, é muito complicado que o candidato realize o chamado corpo a corpo, cumprimentando eleitores. "Infelizmente, nesse período de política as pessoas esqueceram completamente as regras de proteção", afirma.

A médica explica que tirar foto e entrega o santinho não são problemas desde que as pessoas não estejam abraçadas e sem máscara. "Mas não é isso que a gente está vendo. O que estamos vendo é candidatos sem máscara, abraçando as pessoas, beijando as pessoas e podendo transmitir a doença", disse. 

Um objeto que ganhou destaque no período eleitoral foram as máscaras transparentes feitas de acrílico. Segundo Rúbia, esses itens não protegem nem o candidato nem o eleitor. "É uma máscara que encosta no queixo, completamente aberta", explica. 

Outro erro são candidatos em cima de carro de som aglomerados enquanto se revezam no microfone. 

Por outro lado, ela informa que realizar carreatas não é um problema, desde que estejam todos os participantes em seus próprios carros.

Confira a seguir algumas orientações sanitárias do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para campanha de prefeitos e vereadores das eleições deste ano, o que pode e o que não pode para evitar as aglomerações.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou, em nota, que está em fase de finalização de uma nota técnica com protocolos sanitários para o período eleitoral, conforme as diretrizes já estabelecidas no Plano de Segurança Sanitária - Eleições Municipais de 2020, elaborado e já divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral.

O primeiro turno das eleições municipais acontece no dia 15 de novembro.

Campanha

  • Em reuniões presenciais, calcular o número de pessoas presentes de acordo com a capacidade da sala, de modo a permitir distanciamento mínimo de 1 metro entre os participantes;

  • Evitar promover eventos com grande número de pessoas;

  • Utilizar espaços amplos e abertos para contato com outras pessoas e evitar aglomerações;

  • Não servir refeições ou realizar outros eventos que impeçam o uso de máscaras faciais;

  • Evitar a distribuição de material impresso de campanha;

  • É recomendado aos candidatos e apoiadores que usem máscara durante os eventos.

Dia da votação

  • No dia da votação, as recomendações são para usar máscara ao sair de casa para votar e, se possível, levar uma caneta para evitar o compartilhamento do objeto na seção eleitoral;

  • Manter distância de, pelo menos, um metro para as outras pessoas no local de votação e evitar contato físico com eleitores e mesários;

  • Outra recomendação é ir sozinho ao local de votação, evitando levar acompanhantes;

  • Limpar as mãos com álcool em gel antes e depois de votar, além de permanecer no local de votação apenas o tempo suficiente para votar;

  • Se tiver febre no dia da votação ou se teve Covid-19 nos 14 dias anteriores a eleição, fique em casa;

  • Todas as orientações também são válidas aos eleitores.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS