X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Enem pode ser suspenso em 2021, diz ministro

| 06/06/2020 10:23 h

O novo ministro da Educação é economista e próximo ao chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni

Em ofício enviado ao ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirma que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021 pode ser suspenso por falta de dinheiro. O documento também alerta para o risco de prejuízo ao Prouni, fechamento de campi, cursos e até instituições inteiras por falta de recursos.

“Convém destacar que o consagrado Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) figura-se entre os programas que correm o risco de serem descontinuados, e soma-se a esse prejuízo o fechamento de cursos, campi e possivelmente instituições inteiras, comprometendo a educação superior e a educação profissional e tecnológica”, cita trecho de nota técnica assinada pelo subsecretário de Planejamento e Orçamento do MEC, Adalton Rocha de Matos.

O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior público do País. A edição deste ano, cuja realização não corre riscos, segundo o governo, recebeu 6,2 milhões de inscritos.

O documento faz parte das discussões internas do governo a respeito da Lei Orçamentária de 2021.
Até agora, o Ministério da Economia disponibilizou ao Ministério da Educação (MEC) R$ 18,7 bilhões para o ano que vem. O órgão pede mais R$ 6,9 bilhões.

O MEC reclama que a previsão de despesas discricionárias à pasta para 2021 é 18,2% inferior ao previsto na lei orçamentária deste ano. Essa rubrica (que não considera gastos fixos como salários) passaria de R$ 22,96 bilhões neste ano para R$ 18,78 bilhões em 2021.

“O atual montante de recursos consignados no referencial monetário para 2021 poderá prejudicar seriamente diversas políticas públicas”, escreveu Weintraub, no documento assinado nessa sexta-feira (5).

A previsão de uma redução de R$ 4,18 bilhões no orçamento de 2021 do MEC pode colocar em risco a continuidade no pagamento de bolsas de pesquisa e o custeio para funcionamento de universidades federais.

Para sensibilizar a Economia, o Ministério da Educação afirma que as ações importantes da pasta têm risco de prejuízo, como o PNLD (Programa Nacional do Livro Didático) e os repasses às redes de ensino.

Ressalta ainda que a redução desse orçamento “afetará gravemente e poderá interromper” ações relacionadas ao ensino superior, como a concessão de bolsas de pesquisa, funcionamento de campi e avaliações nacionais.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS