X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Site de loja de produtos eletrônicos sofre ataque hacker

Ataque foi realizado na quarta-feira (22) e empresa informa que serviço foi reestabelecido

Daniele Madureira, da Agência Folhapress | 23/06/2022 12:46 h

A varejista de eletroeletrônicos Fast Shop sofreu um ataque hacker nesta quarta-feira (22). Tanto site quanto aplicativo saíram do ar, mas a empresa disse que os serviços já foram restabelecidos.

"A Fast Shop informa que identificou uma tentativa de acesso não autorizado aos sistemas da companhia. Como forma de prevenção, a empresa acionou os protocolos de segurança, e por este motivo, o site e o app ficaram temporariamente indisponíveis, porém já se encontram restabelecidos e funcionando normalmente", informou a companhia, em comunicado divulgado na manhã desta quinta-feira (23).

"Ressaltamos que todas as lojas continuam abertas e operando regularmente em todo país. Salientamos que toda a base de informações da empresa está sob rígidos processos de segurança e não houve evidências de danos aos dados de nossos clientes", diz o texto.

A Folha de S.Paulo tentou acessar a página da varejista, mas o serviço para obtenção de senha está indisponível, tanto no site quanto no aplicativo. Também o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), no telefone (11) 3003-3728, não está atendendo.

"Desculpa, neste momento não vamos poder te atender. a equipe está indisponível no momento. ligue daqui uma hora. obrigado pela compreensão e até mais", diz a mensagem do SAC.

Reportagem do site Tecnoblog informa que o Twitter da empresa também foi hackeado. Ontem, na rede social, um tweet chegou a anunciar o fechamento de todas as lojas até o dia 26 e o adiamento de todos os pedidos até 27 de junho. O aviso teria sido fixado no perfil.

Este é o segundo caso do ano envolvendo uma invasão cibernética em um site de uma grande varejista. Em fevereiro, um ataque hacker à Americanas deixou o site da empresa e de outras companhias do grupo (Submarino, Shoptime e Sou Barato) fora do ar por pelo menos quatro dias. O ataque gerou prejuízo de R$ 923 milhões.

Segundo levantamento global da consultoria Accenture, no ano passado, cada empresa registrou 270 ataques cibernéticos, um aumento de 31% frente a 2020.

Desse total, 29 (11%) foram bem-sucedidos, ou seja, afetaram o sistema das companhias. Como ataque, a pesquisa da Accenture define "acesso não autorizado de dados, aplicativos, serviços, redes ou dispositivos"

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS