X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Mineração vai abrir 15 mil vagas a partir de janeiro no Estado

| 26/08/2021 16:53 h

Exploração de sal-gema, mineral que é usado para tratar água e fabricar tecidos, plásticos, baterias, entre outros
Exploração de sal-gema, mineral que é usado para tratar água e fabricar tecidos, plásticos, baterias, entre outros |  Foto: Divulgação

Quem deseja trabalhar em uma das maiores jazidas de sal-gema da América Latina já pode ir se preparando para disputar uma chance de colocação. É que foi iniciado na quarta-feira (26) o leilão dos blocos localizados na região Norte do Estado. As contratações devem acontecer a partir de janeiro do ano que vem.

De acordo com um estudo da Agência Nacional de Mineração (AMN), serão criadas 15 mil oportunidades, para diversos cargos. Especialistas apontam que este tipo de trabalho demanda engenheiros, técnico em segurança do trabalho, geólogo, mecânicos, administradores e outros.

O leilão está previsto para ser encerrado em 8 de setembro.

“Novembro é o prazo final para pagamento de quem vencer. Os estudos podem começar até este ano, mas é mais provável que se iniciem no ano que vem”, explicou o deputado federal Felipe Rigoni.

Já no início dos estudos (que vão durar cerca de três anos), vão começar as contratações. “Nestes três anos de pesquisas serão investidos R$ 170 milhões. É uma região que tem rodovia, projeto de porto, tem o aeroporto de Linhares. É possível criar um polo cloroquímico, vai trazer investimentos e empregos ao Estado”, destacou Rigoni.

Já Eustaquio de Freitas, deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Apoio e Acompanhamento da Exploração de Sal-Gema, afirmou que são 11 blocos de jazidas, sendo que nove encontram-se em Conceição da Barra, um está situado em Vila Pavão e outro em Ecoporanga. Todas as áreas tiveram investidores interessados.

“A partir da exploração das jazidas de sal-gema, a gente passa a ter um novo ciclo de desenvolvimento econômico, sobretudo numa região onde precisamos investir. Vamos buscar agregar valor a este mineral”, frisou o deputado.

O sal-gema é um mineral que pode ser usado para o tratamento de água, na fabricação de tecidos, vidros, PVC, baterias e outros.
A jazida localizada em Conceição da Barra possui 300 mil metros quadrados.

O deputado Rigoni afirmou que a empresa que comprar vai buscar uma exploração sustentável das áreas. “Toda atividade minerária tem o impacto ambiental. Mas teremos a possibilidade de fazer a exploração de uma maneira sustentável. Na exploração de sal-gema o impacto é reduzido e não temos habitações em cima”, disse.


Entenda


Sal-gema

  • Trata-se de um mineral. Ele é constituído pelo cloreto de sódio, acompanhado de cloreto de potássio e cloreto de magnésio. Ocorre em jazidas da superfície terrestre.

  • Por meio da eletrólise, que é um processo químico, o sódio é separado do cloro.

  • O cloro, por exemplo, pode ser utilizado na produção de materiais de limpeza e no tratamento da água de piscina. Já o sódio pode ser utilizado para a produção da soda.

  • O sal-gema oferece matéria-prima para diversas indústrias, como a de celulose, farmacêutica, produção de defensivos agrícolas, plástico, tecido, entre outras.

Leilão

  • Foi iniciado na quarta (25) um leilão para vender 11 blocos de jazidas, que estão localizados no Norte do Estado, em Conceição da Barra, Vila Pavão e Ecoporanga. O término do leilão está previsto para 8 de setembro.

  • A empresa que vencer terá até o dia 29 de novembro para pagar os valores. A partir daí, os estudos das áreas podem ser iniciados.

  • A estimativa é de que a pesquisa se inicie em 2022, a partir de janeiro. Porém, há uma possibilidade que os estudos e as contratações comecem ainda este ano, em dezembro. Caberá a empresa vencedora definir as datas.

  • Os estudos devem ter duração de três anos e receber investimentos de cerca de R$ 170 milhões.

Vagas

  • De acordo com um estudo da Agência Nacional de Mineração (AMN) serão criadas 15 mil oportunidades de emprego durante a exploração das áreas.

  • Porém, já para o estudo, dezenas destas vagas serão preenchidas.

  • Segundo especialistas, este tipo de trabalho demanda profissionais como técnico em segurança do trabalho, operação, manutenção, mecânica, automação, engenheiro de minas, geólogo, engenheiro químico, engenheiro de produção, administradores, entre outros.

Fontes: deputado Federal Felipe Rigoni, deputado estadual Freitas e pesquisa AT.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS