Login

Atualize seus dados

Economia

INSS vai ampliar atendimentos para zerar fila da aposentadoria

19/06/2020 18:44:30 min. de leitura

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai ampliar o número de atendimentos para zerar a fila de pedidos de aposentadorias e benefícios como BPC (assistência a idosos e pessoas com deficiência carentes) e auxílio-doença, até outubro.

Desde 2018, por causa do aumento de requerimentos em função da reforma da Previdência, vêm sendo relatados atrasos na avaliação de pedidos de aposentadorias e demais benefícios.

A fila, que se forma após mais de 45 dias sem resposta, chegou a mais de um milhão de requerimentos no início do ano no País.

No Espírito Santo, 12 mil requerimentos estavam sem resposta até fevereiro. O número atual não foi informado, mas, segundo fontes internas, já houve uma redução.

Imagem ilustrativa da imagem INSS vai ampliar atendimentos para zerar fila da aposentadoria
Prédio do INSS: medida provisória Foto: Dayana Souza/AT
Até mesmo a pandemia estaria contribuindo para que as análises dos pedidos de benefícios sejam aceleradas, conforme destacou o presidente do INSS, Leonardo Rolim, ao jornal Folha de S. Paulo.

“Foi até mais rápido, porque estamos com mais gente”, destacou, lembrando que muitos servidores que trabalham em agências foram deslocados para a função.

Além disso, uma força-tarefa, composta por mais de 8 mil militares reservistas e servidores aposentados, foi montada pelo governo federal para agilizar o trabalho.

Eles deverão atuar no INSS até o fim de 2021, primeiro para zerar a fila de requerimentos cuja análise está pendente, e posteriormente, dando suporte nos demais casos.

Há um estoque de pedidos de atualização de dados, cumprimento de decisões judiciais, revisão de valores recebidos, recurso de pedidos negados e 2,5 milhões de benefícios com suspeita de irregularidade a serem investigados.

Os militares vão atuar no atendimento à população nas agências físicas, quando voltarem a funcionar normalmente – os atendimentos presenciais estão suspensos desde de março, por causa da pandemia do novo coronavírus – e também na agência virtual, ajudando, por exemplo, no reagendamento de serviços. Além disso, eles auxiliarão no atendimento de manutenção de benefício.

Já os servidores aposentados serão deslocados às análises restritas à carreira, como cumprimento de ordens judiciais e pedidos de revisão de benefício, conforme destacou o presidente do INSS, Leonardo Rolim.

Questionado sobre quais serão as prioridades no atendimento que será realizado no Estado, o INSS não se manifestou até a conclusão desta reportagem.
 

SAIBA MAIS

Modernização com aprovação automática

Força-tarefa

  • Desde 2018, por causa do aumento de requerimentos em função da reforma da Previdência, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começou a atrasar a avaliação de pedidos de aposentadorias e outros benefícios.
  • Mais de um milhão de requerimentos estão com análise pendente no País. No Estado, até fevereiro, eram cerca de 12 mil.
  • Por isso, o governo adotou uma estratégia para ampliar o atendimento do órgão, contando com o reforço de mais de 8 mil servidores aposentados, inclusive da própria carreira do INSS, e militares reservistas.
  • Os inativos ganharão um bônus enquanto atuarem na força-tarefa.

Atendimentos

  • Além da análise de requerimentos, serão realizadas atualizações cadastrais, revisão de valores recebidos e investigação de irregularidades.


Modernização

  • Futuramente, terá início uma fase de modernização no INSS, principalmente reforçando a aprovação automática de benefícios, segundo o presidente do órgão. Mas, ainda não há prazo para que isso ocorra.

Fonte: INSS e Folhapress.