X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

INSS diz como pedir auxílio-doença sem perícia

Medida Provisória que libera uso de atestado quando demora for acima de 30 dias para o procedimento já foi aprovada no Congresso

Jornal A Tribuna | 04/08/2022 15:36 h

INSS: liberação de  auxílio só com atestado beneficia 140 mil segurados no Estado, conforme estimativa
INSS: liberação de auxílio só com atestado beneficia 140 mil segurados no Estado, conforme estimativa |  Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
 

O Senado aprovou, ontem, a Medida Provisória (MP) que dispensa a perícia médica em caso de demora no agendamento a quem solicitar o recebimento do auxílio-doença.

O benefício é concedido por incapacidade temporária e poderá ser liberado apenas com análise documental. O objetivo da proposta é simplificar a concessão de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A medida está em vigor desde abril, quando foi editada pelo governo federal. Se ela não tivesse sido aprovada pelo Congresso, perderia a validade no dia 30 de agosto. Com a aprovação no Senado, o texto vai à sanção presidencial.

O texto aprovado prevê que o Ministério do Trabalho e Previdência vai definir quais as condições que vão dispensar a perícia médica. A pasta também terá que informar os critérios para quando os auxílios por incapacidade temporária ficarão sujeitos apenas à análise documental, o que inclui atestados e laudos médicos.

Com a MP, as perícias poderão ser feitas remotamente. Ou seja, os segurados do INSS que esperam há mais de 30 dias para passar por perícia podem cadastrar a documentação médica pelo aplicativo ou site Meu INSS e ter o atestado ou laudo avaliado pelo perito médico federal.

Esse modelo já foi usado em 2020 e 2021 por causa das restrições da pandemia. No Espírito Santo, a estimativa é que  haja 140 mil segurados que poderão ser beneficiados. 

O texto da MP prevê ainda que quem recebe auxílio-acidente deverá fazer revisão periódica com exame médico pericial, sob pena de perder a indenização. A avaliação, contudo, pode ser feita de forma remota. 

Durante a votação no Senado, parlamentares do PT pediram a retirada desse item. No entanto, os senadores votaram contra a mudança.

Além disso, a MP também permite ao INSS celebrar parcerias para a realização de avaliações sociais, a fim de ampliar o atendimento às pessoas com deficiência.

Detalhamento

Depois de enviar a MP ao Congresso, o governo publicou também uma portaria detalhando a medida. 

Na tabela ao lado, é possível verificar todo o procedimento para solicitar o auxílio-doença sem passar pela perícia do INSS.

TIRE SUAS DÚVIDAS

Por que suspender a obrigatoriedade de perícia no INSS em caso de demora?

A fila de espera por exames periciais está grande em todo o País. Cresceu ainda mais após a paralisação de dois meses dos médicos peritos, entre o fim março e maio. Hoje, oficialmente, há 738 mil pedidos pendentes de exame em agências do INSS, porque as pessoas não conseguem agendamento para uma data próxima. A média de espera é de 60 dias.

Espera por perícia do INSS: passo a passo para solicitar benefício por meio da internet apenas com laudo ou atestado
Espera por perícia do INSS: passo a passo para solicitar benefício por meio da internet apenas com laudo ou atestado |  Foto: A Tribuna
 

O INSS já publicou portaria dispensando a perícia?

Sim. Para se adaptar à própria medida provisória que enviou ao Congresso, aprovada na Câmara e no Senado, o governo editou uma portaria no fim do mês passado (a Portaria Conjunta MTP/INSS 7, de 29 de julho). Com isso, os segurados do INSS podem cadastrar a documentação médica pelo aplicativo ou pelo site Meu INSS, tendo o atestado ou o laudo médico avaliado remotamente por peritos federais.

Como fazer o requerimento pela internet?

- Acesse o site Meu INSS ou baixe o aplicativo no celular.

- Faça login informando CPF e senha.

- Clique em “Agendar perícia”.

- Clique em “Perícia inicial”.

- Imediatamente, aparecerá uma mensagem informando que, mesmo que a pessoa já tenha agendado uma perícia presencial, será possível solicitar a análise dos documentos médicos à distância. Mas o agendamento do exame na agência será cancelado.

- Caso os documentos médicos estejam conforme as orientações, e o segurado queira o atendimento à distância, deverá clicar em “Sim” e, em seguida, em  “Continuar”.

- O sistema perguntará se o benefício está sendo solicitado por acidente de trabalho (neste caso, a concessão exige perícia).

- Se o pedido de benefício não for por acidente, o segurado deverá responder às perguntas e anexar o atestado ou o laudo médico, e um documento de identificação com foto.

- Nas situações em que for permitida a realização da análise documental pela perícia médica, o cidadão será direcionado para uma tela de escolha do local para receber o pagamento, finalizando o pedido.

Quais são os requisitos para pedir o auxílio-doença?

É preciso ter uma carência mínima de 12 meses (tempo mínimo de contribuição), estar na qualidade de segurado (estar com os recolhimentos em dia ou suspensos há pouco tempo) e comprovar a incapacidade para o trabalho. O empregado com carteira assinada deve estar afastado de suas atividades por mais de 15 dias.

Que documentos apresentar?

De acordo com o INSS, o atestado ou o laudo médico, além de legível e sem rasuras, deve conter, necessariamente, as seguintes informações: nome completo do requerente, data da emissão do documento (que não poderá ser superior a 30 dias da data de entrada do requerimento), informações sobre a doença ou CID, assinatura e carimbo do profissional com o registro do conselho de classe (CRM, CRO ou RMS), além da data de início e prazo estimado do afastamento.

Já tenho perícia marcada, mas espera passa de 30 dias. Posso pedir outro benefício só com documentos?

Sim. O segurado que já estiver com perícia médica agendada poderá optar pela análise documental, desde que a data de emissão do atestado ou do laudo médico não seja superior a 30 dias da data em que fizer a opção, garantida a observância da data de entrada do requerimento.

O que acontece se o médico perito negar o pedido?

Segundo a portaria editada pelo governo no fim do mês passado, em caso de análise documental para a concessão de auxílio-doença, o INSS não permitirá recurso do trabalhador, se o pedido for indeferido.

A Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP) confirma que  “nos casos em que o servidor concluir pela ausência de conformidade, o requerimento será cancelado, e o segurado não será encaminhado ao atendimento presencial. Igualmente, não haverá recurso contra a decisão em análise documental”.

Será permitido ao segurado, entretanto, entrar com uma nova solicitação, mas o requerimento de um novo benefício por meio de análise documental será possível apenas após 30 dias da última análise realizada.

Se eu enviar os documentos pela internet, e o INSS negar, poderei agendar na agência?

Segundo a portaria já publicada pelo INSS, caso o benefício seja negado por não atendimento aos requisitos estabelecidos para análise remota de documentos, o segurado poderá agendar uma perícia médica presencial numa agência.

O benefício com análise de documento terá a duração de um liberado com perícia?

Não. A concessão de benefício apenas com a análise de documento tem caráter emergencial, para reduzir a longa fila de espera do INSS. Neste caso, o auxílio não poderá ter duração superior a 90 dias, ainda que de forma não consecutiva.

Vale para quem sofre acidente de trabalho?

Não. A concessão só com a análise de documentos não vale para benefícios por incapacidade acidentários (aqueles decorrentes de um acidente do trabalho ou doença ocupacional), de acordo com a portaria recente do INSS.

Fonte: Agência Globo

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS