X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Governo federal estuda concessão da BR 262 para o ano que vem

| 13/12/2019 17:55 h | Atualizado em 14/12/2019, 12:15

Rodovia terá 3 pontos de pedágio
Rodovia terá 3 pontos de pedágio |  Foto: Thiago Coutinho/ AT/ 23/01/2019

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou, nesta sexta-feira (13), uma nova rodada de concessões com 44 leilões previstos que devem atrair mais R$ 101 bilhões em investimentos a partir do próximo ano em aeroportos, rodovias, ferrovias e portos. Entre as estradas que estão nesse pacote, segundo o ministro, estão as BRs 262 e 381, que ligam o Espírito Santo ao estado de Minas Gerais. 

Caso se confirme, esse valor representará quase dez vezes mais do que foi realizado no primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro e 43% do total da carteira (R$ 231 bilhões) prevista até 2022, quando vence o mandato presidencial.

Somente a concessão da rodovia Nova Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, deve exigir R$ 17 bilhões em investimentos, segundo a secretária Natália Marcassa. "Será o grande projeto do próximo ano ao lado dos 22 aeroportos", disse o ministro Tarcísio.

Segundo ele, sete rodovias deverão ser concedidas no final do próximo ano, atraindo R$ 42,6 bilhões em investimentos. São elas: BR-101/SC, BRs 381 e 262/ MG-ES, BRs 163 e 230/ MT-PA, BRs 153, 080 e 414/ GO-TO, BRs 116, 101, 465/ SP-RJ, Brs 116 e 493/ RJ, BRs 040 e 495/ RJ-MG.

Em dezembro de 2020, também está previsto o leilão de 22 aeroportos em três blocos, com investimentos previstos de R$ 5 bilhões.

No ano seguinte, todos os demais aeroportos hoje administrados pela estatal Infraero, serão concedidos. Segundo o ministro, a estatal continuará existindo e será reestruturada. "Estudamos até fusão da Infraero com outras empresas", disse.

Na área portuária, serão nove terminais no Ceará, Paraná, Maranhão, Bahia, e São Paulo com quase R$ 1 bilhão em investimentos. O ramo ferroviário deverá gerar R$ 52,8 bilhões em investimentos com duas novas ferrovias, a FIOL (Integração Oeste-Leste) e a Ferrogrão, e quatro renovações antecipadas.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS