X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Empresas adotam rodízio de home office para 50 mil funcionários no Estado

| 17/08/2021 15:17 h | Atualizado em 17/08/2021, 15:32

 Geovany Spalenza disse que empregados foram liberados para decidir se ficam em casa ou vão para a empresa
Geovany Spalenza disse que empregados foram liberados para decidir se ficam em casa ou vão para a empresa |  Foto: Dayana Souza/AT

Após a chegada da pandemia de covid-19, as empresas tiveram de se adaptar para manter a produtividade e respeitar as medidas de distanciamento social para evitar a disseminação da doença.

As mudanças necessárias influenciaram diretamente no funcionamento das empresas e um novo modelo de trabalho acabou ganhando espaço no mercado: o híbrido (trata-se de um formato flexível, em que os colaboradores podem exercer suas atividades, alternadamente, de forma presencial ou remota).

Com o controle da transmissão do novo coronavírus em decorrência do avanço da vacinação, em torno de 50 mil pessoas devem migrar oficialmente para o modelo de trabalho híbrido neste ano, segundo as estimativas do diretor da Federação do Comércio do Espírito Santo (Fecomércio-ES), José Carlos Bergamin.

Ainda de acordo com Bergamin, o modelo flexível veio para ficar, visto que, com a tecnologia, muitas atividades não demandam o trabalho presencial.

“Já se falou em 100% home office, mas alguns temem dificuldade de relacionamento, de expertise, relações humanas. O modelo híbrido é o que está sendo mais demandado agora. As empresas constataram que muito do trabalho, com as tecnologias, não precisam ser presenciais”, analisa.

A empresa Vale, por exemplo, é uma das que adotaram o modelo flexível. Mas a novidade é que a mineradora tem apostado no uso de espaços colaborativos – que estão sendo construídos na Enseada do Suá, em Vitória.

Em nota, a Vale afirmou que o local será destinado ao engajamento e treinamento de equipes, contando com ambientes voltados para integração e colaboração.

Com isso, alguns prédios que abrigavam funções administrativas na Unidade Tubarão, em Vitória, estão sendo desocupados e a utilização desses espaços será avaliada futuramente.

Além da mineradora, outras empresas no Estado têm apostado no modelo híbrido, como é o caso da Inflor, gestora de ativos florestais.

O diretor de Recursos Humanos da empresa, Geovany Spalenza, comenta que o modelo foi muito bem recebido pelos 110 funcionários espalhados por todo o País.

“Adotamos o modelo desde dezembro do ano passado. Cada time criou suas próprias regras – fica a cargo de cada colaborador vir ou não para a sede física. Tem dado certo!”, disse.


Saiba mais


O que é o trabalho híbrido?

  • É um modelo de trabalho que possibilita que o funcionário cumpra a sua jornada de trabalho na empresa, presencialmente e, também, à distância (home office).

Vantagens

  • Redução de atrasos: não há tempo gasto no trânsito, no percurso entre a casa do colaborador e a empresa.

  • Otimização das tarefas: com o intuito de fazer com que as atividades sejam devidamente cumpridas, respeitando os prazos e mantendo um padrão de qualidade.

  • Melhora na gestão do tempo: quem passa menos tempo durante o deslocamento pode administrar melhor o período que tem para si.

  • Redução dos custos: vai existir uma economia considerável com internet, luz, vale-transporte e demais despesas.

Desvantagens

  • Excesso de trabalho: funcionários remotos podem trabalhar mais horas e fazer intervalos mais curtos.

  • Dificuldade de comunicação entre as pessoas que estão de forma presencial e quem está remotamente.

  • Dependência de tecnologia.

Fonte: Especialistas consultados.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS