X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Empresa que demitir também poderá ter acesso à pacote econômico do Estado

| 19/03/2021 17:46 h | Atualizado em 19/03/2021, 18:09

No segundo ano de combate à pandemia do coronavírus, o Estado mudou a filosofia de concessão de crédito para fomentar a economia junto às empresas que registram prejuízos desde março de 2020. No pacote econômico anunciado nesta sexta-feira (19), o Estado retirou a exigência de que as empresas só tivessem acesso ao crédito caso se comprometessem a não fazer demissões de funcionários.

A medida, segundo explicou o governador Renato Casagrande, acabou inibindo que empresa tivessem o acesso ao crédito financeiro em 2020, ano em que o Estado iniciou a oferta de linhas especiais de financiamento. Com isso, os empregos acabaram não sendo preservados.

Assim como em 2020, o Estado está oferecendo uma linha de crédito direcionada a capital de giro e pagamento de salários de funcionários. Este crédito, que será operado pelo Bandes, pode chegar a R$ 31,5 mil e não conta com taxa de juros (apenas correção pela taxa Selic, atualmente em 2,75%).

"Nosso objetivo é preservar os empregos através da preservação da atividade econômica. O projeto vai ser encaminhado à Assembleia Legislativa sem esta exigência. Tivemos uma experiência em 2020 que não foi boa. Pouca gente acessou esta linha de crédito e a atividade econômica sofreu um impacto negativo muito forte. Nós acreditamos que o emprego e a renda possam ser geradas com este incentivo a atividade econômica", afirmou Casagrande.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS