X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Dólar fecha estável e bolsa cai 0,91% em dia de volatilidade

Bolsa retornou aos 102 mil pontos influenciada por exterior


O mês de agosto começou com volatilidade no mercado financeiro. Após alternar altas e baixas, o dólar terminou praticamente estável. A bolsa de valores teve um dia mais turbulento, caindo quase 1% e retornando aos 102 mil pontos, influenciada pelo exterior.

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (1º) vendido a R$ 5,179, com alta de 0,08%. A cotação oscilou bastante, chegando a cair para R$ 5,12 nos primeiros minutos de negociação, subiu para R$ 5,20 por volta das 14h30 e desacelerou até terminar próxima da estabilidade.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, fechou aos 102.225 pontos, com queda de 0,91%. O indicador foi influenciado por ações de petroleiras e mineradoras, que sentiram a queda do preço internacional das commodities (bens primários com cotação internacional).

A virada nas bolsas norte-americanas no meio da tarde contribuiu para a alta do dólar e a queda da bolsa brasileira. Os receios de que os Estados Unidos estejam entrando em recessão voltaram a pesar no mercado global, empurrando para cima a cotação do dólar em todo o planeta.

No Brasil, os investidores estão em expectativa para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que começa amanhã (2) e termina na quarta-feira (3). Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central (BC), os analistas acreditam em elevação em 0,5 ponto percentual, de 13,25% para 13,75% ao ano.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: