Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Compra online é alvo de 57 tentativas de fraude por hora

Durante o ano passado, os golpistas tentaram aplicar cerca de 500 mil golpes em clientes no Estado por meio de vendas pela internet

Simony Giuberti, do jornal A Tribuna | 18/02/2022 17:21 h

Consumidora realiza compra pela internet: cerca de 70% das fraudes ocorrem entre as 12 horas e as 23h59
Consumidora realiza compra pela internet: cerca de 70% das fraudes ocorrem entre as 12 horas e as 23h59 |  Foto: Freepik
 

Fazer compras na internet foi a solução que os consumidores encontraram diante das restrições ocasionadas pela pandemia. É fácil, prático e os prazos de entrega são cada vez menores. 

Porém, além das facilidades, quem compra de forma online também está vulnerável a certos perigos que existem no meio digital.

Os principais são os golpes, que crescem a cada dia. De acordo com o relatório Raio-X da Fraude, da Konduto, empresa antifraudes para pagamentos online, somente no ano passado, 25 milhões de fraudes em compras foram evitadas. No Estado, esse número equivale a 57 tentativas de golpe por hora.

Durante todo o ano, os golpistas tentaram aplicar cerca de 500 mil golpes nos consumidores do Estado. O relatório aponta que, quando comparado com os números de 2020, quando 15 milhões de compras fraudulentas foram frustradas, houve um aumento de 66,7% das tentativas de golpe no País.

O relatório ainda mostrou outros dados, como os horários em que os criminosos mais agem: cerca de 70% das vendas e também das fraudes acontecem entre 12 horas e 23h59. Outro dado apontado é que a menor parte das tentativas de golpe acontecem aos sábados e domingos, segundo o relatório.

A aposentada Adriana Helmer Rios foi vítima de golpistas no final do ano passado. Ela afirmou que estava navegando em uma rede social, quando se deparou com um anúncio de um caderno educativo e resolveu comprar para seus netos.

Ela fez o pedido de dois itens e, quando tentou acompanhar a compra, percebeu que o site da empresa estava fora do ar. Foi então que a aposentada descobriu que tinha sido vítima de um golpe. “Olhei o email e vi um detalhe que me fez perceber que não era oficial”.

O especialista em segurança da informação e professor da UCL João Paulo Machado Chamon explicou um dos motivos que faz com que esse tipo de golpe aumente a cada dia.

“Os golpistas deixaram de focar nas instituições financeiras, deixaram de querer invadir bancos para focar mais nas pessoas, pois para eles é mais fácil. Eles convencem as pessoas a mandarem dinheiro na lábia. Ele envolve e consegue o que quer”, salientou.

Golpistas criam perfis falsos e comentários positivos

Para atrair mais vítimas e conseguir mais dinheiro com seus golpes, os vigaristas usam de diversas artimanhas. Tudo isso para fazer parecer real a história que está contando. Eles criam sites, compram seguidores e inventam até comentários positivos nas redes.

De acordo com o especialista em segurança da informação e professor da UCL, João Paulo Machado Chamon, tudo é usado como forma de coagir mais vítimas.

“Os golpes começam desta forma, com eles criando uma realidade. Eles registram domínio, colocam preços nos produtos e criam impulsionamento. Eles pagam por publicidade online. A forma mais simples de ganhar dinheiro é colocando mais dinheiro”, explicou.

O especialista ainda destacou que, de posse de nomes e dados das pessoas, que podem ser conseguidos na internet, os criminosos também fazem perfis falsos. 

“Esses perfis passam a seguir suas páginas nas redes sociais. Eles fazem tudo parecer muito real e a vítima acaba acreditando”.


SAIBA MAIS


Aumento de vendas

  • O comércio eletrônico cresceu cerca de 38% no ano passado, segundo uma estimativa da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Foram alcançados R$ 304 bilhões em vendas.
  • Com o aumento das vendas online, aumentam também as chances de golpes, segundo especialistas.
  • Segundo relatório produzido pela empresa antifraudes para pagamentos online Konduto/Boa Vista, R$ 7,2 bilhões em pedidos fraudulentos foram evitados.
  • A empresa conseguiu frustrar cerca de 25 milhões de compras fraudulentas. No ano anterior, em 2020, esse número era de 15 milhões segundo o mesmo relatório. O aumento é de 66,7%.

Estado

  • No Estado, cerca de 500 mil tentativas de fraudes foram frustradas durante o ano de 2021.
  • Por mês, foram 41.666 tentativas, sendo 1.388 por dia e 57 por hora.

Horário

  • O relatório mostrou ainda que cerca de 70% das vendas e também das fraudes acontecem entre 12 horas e 23h59.
  • 13,09% das tentativas de golpe aconteceram durante a madrugada, entre meia-noite e 5h59.
  • Ainda de acordo com o relatório, a maioria das tentativas de fraudes acontece entre segunda-feira e sexta-feira. Aos sábados e domingos são registradas menos tentativas.

Cuidados a serem tomados

Dados

  • Confira os dados comerciais da empresa de comércio eletrônico. Os canais de venda virtuais são obrigados a fornecer dados como razão social, endereço, telefone e CNPJ, de preferência, em sua página principal. Desconfie de sites que não seguem essa regra.

Contato

  • Quanto mais fácil você localizar telefones, endereços e e-mail para entrar em contato com o comércio eletrônico, tirar dúvidas ou encaminhar problemas, mais confiável o site é e menos provável será de você ser vítima de um golpe virtual.
  • Alguns sites, inclusive, oferecem atendimento por chat online pelo qual você pode conversar com um atendente em tempo real.

Certificação digital

  • Cheque as certificações digitais para evitar fraudes. As lojas virtuais que se preocupam com a segurança de seus clientes buscam obter selos de segurança e certificações digitais que protegem os dados fornecidos pelos clientes. 
  • Confira se a página inicial apresenta essa informação. Além disso, os endereços de sites de comércio eletrônico devem começar com “https” e não “http”.

Textos

  • Erros de português e fotos de má qualidade são alguns indícios de sites que não são idôneos, construídos de forma amadora e com a finalidade exclusiva de tirar dinheiro das pessoas.

Indicações

  • Peça indicações de amigos e parentes antes de comprar em um site desconhecido.

Dispositivos seguros

  • Utilize wifi, computador ou smartphone seguros. Nunca faça compras virtuais por meio de computadores de outras pessoas ou usando redes públicas de wifi. Isso só aumenta a chance de ação de pessoas mal intencionadas.

Fontes: Konduto/Boa Vista, Serasa, especialistas citados e Pesquisa AT.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS