X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cliente consegue na Justiça devolução de dinheiro após transferência errada

A cliente errou na digitação e enviou R$ 1.425 para uma conta errada. Como não obteve retorno da instituição, entrou na Justiça

Redação Tribuna Online | 16/07/2022 14:56 h

Uma cliente conseguiu na Justiça junto ao banco o ressarcimento de R$ 1.425 que ela transferiu por engano para uma conta errada. Três minutos depois, o erro foi percebido e ela entrou em contato com o banco para bloquear a operação e receber os valores de volta, mas a instituição não respondeu. As informações são do jornal Extra.

A 15ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, onde o caso ocorreu, concluiu que o banco falhou na prestação do serviço por não ter suspendido a operação financeira e não devolver os valores à consumidora.

Real Moeda brasileira
Real Moeda brasileira |  Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil
 

De acordo com informações da ação, ao fazer a transferência, a cliente errou na digitação, fazendo com que o dinheiro fosse para uma conta errada. Como não obteve retorno da instituição, a consumidora decidiu entrar com uma ação na Justiça.

O pedido foi negado em primeira instância, mas retomado após recurso. Para o relator da ação, o desembargador Mendes Pereira, ficou claro que o serviço não foi prestado da maneira adequada, já que a mulher comunicou a falha imediatamente ao banco.

"A instituição financeira quedou-se inerte, quando deveria ter bloqueado a operação e instaurado procedimento interno administrativo", afirmou o magistrado.

De acordo com o desembargador, o banco deveria ter entrado em contato com o cliente da conta de destino da transferência equivocada para apuração do fato. "Desse modo seria possível obtenção de eventual autorização para realizar o estorno, o quando negativo, comunicar a situação a requerente para tomar as medidas judiciais cabíveis", finalizou.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS