X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Cade volta a julgar compra da Garoto pela Nestlé 21 anos após operação

Julgamento está marcado para a próxima quarta-feira (7)


Imagem ilustrativa da imagem Cade volta a julgar compra da Garoto pela Nestlé 21 anos após operação
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), ligado ao Ministério da Justiça, deve analisar na próxima semana a compra da Chocolates Garoto pela Nestlé, feita em 2002 |  Foto: A Tibuna

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) julga na próxima quarta-feira, 7, a compra da Garoto pela Nestlé, ocorrida em 2002, informou o presidente do Cade, Alexandre Cordeiro, nesta quinta-feira (1).

Segundo ele, na época da compra as regras determinavam que as empresas poderiam fazer fusões e aquisições e informar o Cade apenas 15 dias depois. O Cade, por sua vez, tinha dois anos para dar sua decisão.

"Em 2004, depois de dois anos, as empresas já operando em conjunto, o Cade reprovou a operação e mandou separar. As empresas foram para o Judiciário e conseguiram ficar operando juntas esses 21 anos", explicou Cordeiro.

Leia mais notícias de Economia aqui

Atualmente, esse tipo de operação só pode ser realizada com aprovação prévia do Cade, para empresas com faturamento acima de R$ 700 milhões, sob risco de multa de R$ 60 milhões.

"Estamos analisando o caso hoje com as condições do mercado completamente diferentes daquela época, e vai ter julgamento na quarta-feira", informou o executivo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: