X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Economia

Cade deve aprovar compra da Garoto pela Nestlé

Após 21 anos da compra, caso será julgado nesta quarta-feira (7)


Imagem ilustrativa da imagem Cade deve aprovar compra da Garoto pela Nestlé
O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), ligado ao Ministério da Justiça, deve analisar ainda nesta semana a compra da Chocolates Garoto pela Nestlé, feita em 2002 |  Foto: A Tibuna

Após 21 anos da compra da Garoto pela Nestlé, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deve aprovar a operação com restrições. O caso será julgado nesta quarta-feira (7).

Pessoas que participaram das discussões no conselho afirmam que, para isso, serão impostas três condições: a manutenção dos investimentos na fábrica no Espírito Santo por sete anos; veto à compra de qualquer concorrente que ultrapassem 5% de participação no mercado de chocolates; e a obrigação de não erguer barreiras à importação de chocolate (medidas antidumping).

Leia também:

Cade volta a julgar compra da Garoto pela Nestlé 21 anos após operação

A compra foi fechada em 2002, e dois anos depois, o Cade vetou o negócio. A Nestlé foi à Justiça que, em 2005, suspendeu a decisão do Cade autorizando a operação.

Em 2009, a decisão judicial foi anulada determinando que o Cade analisasse o caso novamente.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: