X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Banheira de R$ 90 mil feita de pedra é destaque em feira

| 12/02/2020 14:54 h | Atualizado em 13/02/2020, 15:01

Banheira de 680 quilos é toda em mármore e levou 15 dias para ficar pronta
Banheira de 680 quilos é toda em mármore e levou 15 dias para ficar pronta |  Foto: Beto Morais / AT
Com a expectativa de concretizar a retomada das exportações no setor de rochas ornamentais, a Feira Internacional do Mármore e Granito Vitória Stone Fair 2020 teve início ontem com novidades tecnológicas e sustentáveis, além de apostas do mercado de alto padrão em decoração e interiores.

Um dos destaques é a tecnologia tridimensional CNC, que permite confeccionar diversos objetos em pedra maciça. Entre eles, uma banheira em mármore de 680 quilos, que é produzida no Espírito Santo e chega a custar R$ 90 mil.

“É uma peça desenhada de forma inédita, pensada nos mínimos detalhes. Ela ficou cerca de 15 dias na máquina sendo produzida, 24 horas por dia”, disse a arquiteta Vivian Coser.

Maior exportador do setor de rochas ornamentais no País, o Espírito Santo fechou o ano de 2019 com um total de US$ 827 milhões (R$ 3,5 bilhões) em exportações no segmento, o que representa alta de 2% em relação ao ano anterior.

Segundo a organização da Vitória Stone Fair, a expectativa é de que o cenário de crescimento seja mantido neste ano.

Uma das apostas é nos produtos de maior valor agregado, como o quartzito, que, em 2019, ajudou a aumentar as exportações capixabas.

“O Brasil tem vantagens competitivas. Hoje, temos o quartzito, que é um material mais resistente e bonito que mármore e granito, e que tem um valor agregado alto”, disse Flavia Milanez, diretora da Milanez & Milaneza, empresa organizadora da Stone Fair.

Para ela, a retração na economia chinesa, provocada pela crise do novo coronavírus, não vai impactar o setor no curto prazo. “Os chineses não são o principal público alvo da feira, pela época em que ela é realizada. A crise pode ter impacto maior a longo prazo, por conta da importância que a China tem para o setor.”

Chineses marcam presença e fazem negócios

Wilian Li: máscara por precaução
Wilian Li: máscara por precaução |  Foto: Beto Morais / AT
Apesar de 15 dos 17 representantes da China terem cancelado a participação na Vitória Stone Fair 2020, por causa da crise provocada pelo novo coronavírus, representantes do país não deixam de fazer negócios no evento.

A nação asiática é a segunda maior importadora de rochas ornamentais brasileiras, com participação de 16,2% no setor.

O empresário chinês Willian Li, da província de Qingdao, veio à feira fechar negócios e contou que vem usando máscara por precaução. “Na China, as coisas estão ficando sob controle, e esperamos que possamos resolver a situação em breve, nas próximas semanas. O Espírito Santo é um bom lugar para negócios”, elogiou.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS