X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Bancos começam a oferecer empréstimo com limite maior para aposentados

| 14/10/2020 16:48 h | Atualizado em 14/10/2020, 17:00

Prédio do INSS:  medida provisória
Prédio do INSS: medida provisória |  Foto: Dayana Souza/AT

A nova margem de crédito para empréstimo consignado destinado aos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) já está valendo, e os bancos já começaram a ofertar o empréstimo com o novo limite.

Por meio de Medida Provisória, o governo aumentou de 30% para 35% a margem do benefício – como aposentadoria ou pensão do INSS – que pode ser comprometida com empréstimo consignado.

Nesta modalidade de empréstimo, as parcelas são descontadas diretamente no pagamento do benefício. Os juros partem de 0,95% ao mês, e são menores do que em outras linhas de crédito, já que o risco de inadimplência é considerado baixo.

O aumento da margem foi recomendado pelo Conselho Nacional da Previdência Social (CNPS), e valerá durante o estado de calamidade pública decretado pelo governo diante da pandemia de Covid-19, ou seja, até o dia 31 de dezembro deste ano.

Os segurados do INSS que contratarem o crédito consignado neste período poderão ainda solicitar uma carência de 90 dias para começar a pagar. A carência também é válida para os beneficiários que desejam renegociar empréstimos em andamento.

Outros 5% da renda do segurado ainda podem ser destinadas para o cartão de crédito consignado, totalizando 40% da renda que pode ser utilizada para crédito.

Segundo pesquisa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), realizada em setembro, a carteira de crédito deve ter crescimento de 9,4% no País neste ano. A pesquisa é realizada a cada 45 dias, e mostrou resultado superior à anterior, que previu uma expansão de 6,3% no crédito.

Segundo a Febraban, o resultado é fruto do sucesso dos programas de crédito públicos implementados pelo setor bancário.

Governo está preocupado com aumento das dívidas

Apesar da facilidade de contratação e das taxas de juros atraentes, o endividamento dos beneficiários do INSS por conta de empréstimos consignados é preocupação até mesmo do próprio Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS), que aprovou, no último dia 29, o aumento da margem consignável de 30% para 35%.

Na reunião realizada no último dia 29, onde estiveram presentes autoridades como o secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco e o presidente do INSS, Leonardo José Rolim Guimarães, o endividamento foi um dos temas debatidos antes da liberação do aumento da margem.

O diretor do Banco do Brasil, Ênio Mathias Ferreira, afirmou que aumentar a margem para 35% pode contribuir para o aumento do endividamento, mas concordou que, caso a medida não fosse aprovada, os beneficiários poderiam procurar outras linhas de créditos mais caras, complicando ainda mais a situação financeira.

O tema também foi levantado pelo representante do Banco Central, Gustavo Martins dos Santos. O analista destacou que a inadimplência do consignado do INSS (atraso maior que 90 dias) tem crescido.

“Dois terços dos clientes, que possuem consignado INSS, possuem disposição em outras modalidades de créditos, geralmente com juros bem maiores, contribuindo assim para a elevação do ativo problemático”, disse.

Segundo o INSS, o órgão tem o equivalente a R$ 692 bilhões em empréstimos consignados. Há ainda cerca de 20 milhões de consignados em cartão de crédito, com valor de R$ 31 milhões. Cerca de 48% dos aposentados e 47% dos pensionistas possuem empréstimo consignado, segundo o órgão.


Entenda como solicitar


Consignado

  • Crédito Consignado é um empréstimo cujas parcelas são descontadas diretamente na folha de pagamento do beneficiário.

  • Dinheiro na mão: cuidados
    Dinheiro na mão: cuidados |  Foto: Divulgação
    O governo aumentou de 30% para 35% o percentual do benefício do INSS que pode ser utilizado para pagamento de parcelas de crédito consignado.
  • Outros 5% continuam válidos para pagamento do cartão consignado, que tem limite estabelecido conforme o valor do benefício.

  • Os beneficiários terão ainda 90 dias de carência para começar a pagar, ou o mesmo período para o início do pagamento, em caso de reparcelamento.

  • As medidas são válidas até o dia 31 de dezembro.

Juros menores

  • Quando solicitado, o crédito consignado do INSS leva até dois dias úteis para ser aprovado.

  • Como os descontos são feitos diretamente na folha de pagamento, o que diminui o risco da operação, as taxas são menores do que em outras modalidades de empréstimos.

Caixa Econômica Federal

  • A Caixa já ampliou a margem consignável do empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do INSS para até 35% dos rendimentos.

  • Os valores das prestações são iguais durante todo o contrato e descontados diretamente do salário ou benefício, sem a necessidade de emitir boletos ou comparecer em agências do banco para efetuar pagamentos.

  • As taxas variam entre 1,34% e 1,50%, com prazo máximo de 84 meses.

  • A contratação pode ser feita pelo site da Caixa (www.caixa.gov.br), correspondente Caixa Aqui ou agências e autoatendimento.

Banco do Brasil

  • O Banco do Brasil ampliou o limite máximo destinado ao empréstimo consignado do INSS para 35%.

  • O beneficiário do INSS pode fazer a contratação, inclusive diretamente no aplicativo BB para celular, sem a necessidade de comparecer a uma agência, caso deseje.

  • Valor mínimo do empréstimo é de R$ 100,00.

  • Parcelamento em até 84 meses e carência de até 90 dias para pagamento da primeira parcela.

  • Taxa de juros a partir de 0,95% ao mês.

  • Mais informações disponíveis no site bb.com.br/consignado .

Banestes

  • O Banestes oferece taxas a partir de 1,5% ao mês para empréstimo consignado do INSS.

  • Para conseguir o crédito, basta que o cliente entre em contato com o seu gerente de agência do Banestes para análise. As prestações são debitadas direto na folha de pagamento.

Bradesco

  • A taxa máxima regulada é de 1,80% ao mês para os segurados do INSS, com o prazo de até 84 meses para pagar.

  • Quem é correntista pode contratar pelo Bradesco Celular, Internet Banking, nas Máquinas de Autoatendimento do Bradesco e do Banco24horas, Bradesco Expresso, Fone Fácil e nas Agências.

  • Caso não seja correntista, é preciso comparecer a uma agência do Bradesco.

  • Taxas e Prazos personalizadas de acordo com cada convênio.

Itaú

  • A nova margem de 35% do valor do benefício já está disponível aos clientes do Itaú.

  • Valores de taxas de juros: a partir de 1,15% ao mês.

  • Prazo: 11 a 84 meses.

  • Canais para contratação: aplicativo do celular, internet banking, caixa eletrônico, agências ou através de um correspondente. Não é necessário ser correntista.

Santander

  • O Santander Brasil informou que começou a aplicar a nova margem assim que o INSS aumentou o limite para seus beneficiários.

  • Até 84 meses para pagar.

  • O banco não informou as taxas de juros para os empréstimos consignados.

  • Para clientes que já têm um crédito também é possível negociar valores maiores dentro da nova margem.

Fonte: Bancos consultados.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS