X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Bancos colocam em leilão 1.200 imóveis no Estado

| 20/10/2020 15:00 h | Atualizado em 20/10/2020, 15:23

O que para muitos significa a perda de um bem importante, para outros surge como uma oportunidade de fazer um bom negócio. Até o final do ano, cerca de 1.200 imóveis retomados por bancos de pessoas que não conseguiram pagar o financiamento serão colocados a leilão.

São casas, terrenos, sítios e salas comerciais que estão com até com 50% de desconto do valor de marcado. Algumas instituições já estão com leilões abertos e imóveis sendo vendidos a partir de R$ 13 mil.

De acordo com o advogado especialista em Direito Imobiliário Diovano Rosetti, até o final do ano cerca de 1.200 imóveis serão retomados pelos bancos e colocados a leilão. “O motivo destas retomadas são quase 100% problemas com inadimplência em financiamento”.

Grande parte dos imóveis são residenciais e estão localizados na Grande Vitória, afirmou o especialista. Mas também é possível encontrar bons negócios no interior do Estado. “São imóveis que estão relativamente conservados, e a maioria são residências”, disse Diovano, em um levantamento feito junto ao mercado imobiliário.

Ele destacou que o banco retoma o imóvel, em caso de inadimplência, após o mutuário ficar devendo a terceira parcela. “O banco comunica que foi constatado que não houve pagamento da parcela e pede para regularizar. Se vencer o terceiro mês, o banco expede a notificação para o Cartório de Registro de Imóveis, que notifica o devedor para pagar em 15 dias”.

Caso o devedor não pague, o banco retoma o imóvel. Cerca de 60 dias depois, ele vai a leilão. “O comprador tem que fazer todo um estudo do imóvel, tem que conhecer o imóvel, ver a localização, ver se tem dívidas, saber do IPTU, se está ocupado ou não, se ele pode conhecer e outras coisas”.

O especialista destacou que comprar um imóvel em leilão pode ser um bom negócio, pois geralmente eles são vendidos abaixo do preço do mercado. “O banco não tem interesse em ficar com o imóvel, ele quer vender. Normalmente, no segundo ou terceiro leilão ele acaba vendendo. Ele quer cumprir o valor que ele emprestou”.

Diovano Rosetti citou Jardim da Penha como exemplo de bairro da Grande Vitória com muitos imóveis desocupados
Diovano Rosetti citou Jardim da Penha como exemplo de bairro da Grande Vitória com muitos imóveis desocupados |  Foto: Leone Iglesias — 29/12/2018

De outubro de 2019 a setembro de 2020, de 5 a 6 mil imóveis foram retomados pelos bancos no Estado.

Propriedades ainda ocupadas são menos recomendáveis

Antes de adquirir um imóvel em leilão, é preciso ficar atento a uma questão importante: se o imóvel está desocupado ou não. Isso porque, quando o banco toma uma casa, por exemplo, ele não ingressa com ação na Justiça para que o devedor desocupe. Quem deverá fazer isso é o novo proprietário do imóvel.

Para Diovano Rosetti, advogado especialista em Direito Imobiliário, o interessado deve optar por imóveis desocupados, caso pretenda morar. “Se for para investir, ele tem mais tempo para esperar o antigo mutuário sair”, disse.

Uma ação de despejo na Justiça do mutuário pode demorar cerca de seis meses. “Mas se o imóvel estiver em um preço muito bom vale a pena comprar mesmo assim”.

O consultor imobiliário José Luiz Kfuri afirmou que o devedor deve ficar atento e perceber, antes da retomada pelo banco, se ele vai ficar inadimplente. Desta forma, ele consegue fazer uma transferência do imóvel e evitar perdas maiores.

“Quem tem a casa retomada são as pessoas que estão endividadas. Mas se essas pessoas conseguirem antecipar que não vão conseguir pagar o imóvel, podem vender. Ele vai receber um pouco do dinheiro e não ficar com a perda”.

Saiba mais

Oportunidade

  • Alguns bancos já estão com leilões abertos no Estado. Até o final do ano, a estimativa é de que 1.200 imóveis sejam retomados pelas instituições e vendidos.
  • A grande maioria da causa da retomada é a inadimplência no pagamento das prestações.
  • São vários tipos de imóveis, entre casas, apartamentos, salas comerciais e terrenos rurais.
  • Os imóveis estão em todo o Estado, mas a maioria é na Grande Vitória. Os municípios de Serra, Cariacica e Vila Velha lideram.

Caixa Econômica
Tipo: sala comercial.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: rua João Pessoa de Mattos, Praia da Costa, Vila Velha.
  • Área privativa: 31,42 m.
  • Lance mínimo: R$ 167.019.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/IgltO5E.

Tipo: loja.

  • Situação: ocupada.
  • Endereço: rua Barão de Monjardim, Centro, Vitória.
  • Área: 95 m.
  • Lance mínimo: R$ 95.528,82.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/IgltO5E.

Tipo: apartamento.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: rua Juscelino Kubitscheck, Castelândia, Serra.
  • Área privativa: 51,56 m.
  • Lance mínimo: R$ 51.122,14.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/IgltO5E.

Tipo: casa.

  • Situação: ocupada.
  • Endereço: rua Rui Barbosa, Alto Lage, Cariacica.
  • Área total: 300 m.
  • Lance mínimo: R$ 372.849,26.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/IgltO5E.

Tipo: apartamento.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: rua Gonçalves Dias, Boa Vista II, Vila Velha.
  • Área total: 42,59 m.
  • Lance mínimo: R$ 58.370,12.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/IgltO5E.

Tipo: casa.

  • Situação: ocupada.
  • Endereço: Rua da Jaca, Ponta da Fruta, Vila Velha.
  • Área privativa: 62,24 m.
  • Lance mínimo: R$ 82.688,02.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/IgltO5E.

Banco do Brasil

Tipo: apartamento.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: rua Recife, Jardim Limoeiro, Serra.
  • Área construída: 46 m.
  • Lance mínimo: R$ 78.420.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/XgltJC5.

Tipo: apartamento.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: rua Recife, Jardim Limoeiro, Serra.
  • Área construída: 64,97 m.
  • Lance mínimo: R$ 81.743.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/ugltZ7T.

Tipo: apartamento.

  • Situação: desocupado.
  • Endereço: rua Dom Pedro, Colina de Laranjeiras, Serra.
  • Área construída: 44,3 m.
  • Lance mínimo: R$ 97.226.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/qgltBYZ.

Tipo: apartamento.

  • Situação: desocupado.
  • Endereço: rua Cristóvão Colombo, São Diogo II, Serra.
  • Área construída: 46,17 m.
  • Lance mínimo: R$ 96.570.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/egltMUh.

Tipo: apartamento.

  • Situação: desocupado.
  • Endereço: rua Augusto Ruschi, Balneário Carapebus, Serra.
  • Área construída: 42,74 m.
  • Lance mínimo: R$ 88.272.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/Lglt0ZH.

Santander

  • Tipo: sala comercial.
  • Situação: desocupada.
  • Endereço: rua Cerejeira, Movelar, Linhares.
  • Área útil: 25.5 m.
  • Lance mínimo: R$ 84.750.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/BglyeNU.

Tipo: apartamento.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: rua Pedro Caetano, Centro, Guarapari.
  • Área total: 182.29 m.
  • Lance mínimo: R$ 291.060.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/xglysw0.

Bandes

Tipo: terreno rural.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: córrego da Baratinha, São Domingos do Norte.
  • Área: 37.104,63 m.
  • Lance mínimo: R$ 13 mil.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/Iglyjq3.

Tipo: terreno rural.

  • Situação: ocupado.
  • Endereço: Muniz Freire.
  • Área: 96.800,00 m.
  • Lance mínimo: R$ 33 mil.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/tglyxGu.

Tipo: imóvel rural.

  • Situação: desocupado.
  • Endereço: córrego do Capim, Mantenópolis.
  • Área: 196.129,68 m.
  • Lance mínimo: R$ 285 mil.
  • Saiba mais: https://cutt.ly/5glyTvg.

Fonte: Instituições citadas.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS