search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

É preciso priorizar a mobilidade das pessoas e não dos veículos
Tribuna Livre

É preciso priorizar a mobilidade das pessoas e não dos veículos

Todos querem viver numa cidade que ofereça uma boa qualidade de vida. Para tanto, faz-se necessário compreendermos a “mobilidade peatonal”, reconhecendo os pedestres nos planejamentos estratégicos como os principais usuários das vias das cidades.

A idealização de uma cidade sustentável passa necessariamente pelo conceito de “walkability”, termo inglês referente ao quanto uma área é apropriada ao caminhar.

É uma medida que agrega benefícios à saúde, ao meio ambiente e à economia.

Não raro, o deslocamento a pé deixa de ser uma opção atrativa, ora por tornar-se uma disputa de espaço com veículos, ora pela quantidade de obstáculos até o destino.

Algumas medidas em relação ao planejamento urbano podem incentivar o caminhar, proporcionando benefícios à cidade e ao indivíduo.

Vários critérios estabelecem o índice de andabilidade, concebidos por diversos indicadores de qualidade. Largura e qualidade das calçadas, arborização, mobiliário urbano, sinalizações, equipamentos urbanos e sistemas disponíveis, iluminação, presença e percepção de segurança urbana são algumas destas avaliações.

A facilidade do pedestre em chegar ao seu destino sem o uso de carros deve ser considerada ao se planejar o espaço público. Também a relação com a calçada deve ser cogitada ao se projetar algum empreendimento.

Caminhar é a forma mais natural de deslocamento e a que possibilita a melhor vivência do espaço urbano.

A preferência pela condição de pedestre torna a rua mais segura, promove o comércio e reduz a necessidade de construção de novas infraestruturas de transportes motorizados.

Longe de ser apenas um espaço para circulação de pessoas a pé, a calçada é o limite entre o espaço público e o privado. É nela onde são instalados os equipamentos públicos, como abrigos em pontos de ônibus, postes de luz, hidrantes, lixeiras e placas de sinalização.

Contudo, no Brasil, em oposto a outros países, enfrentamos a perspectiva de que a responsabilidade da manutenção do passeio é de responsabilidade do proprietário do terreno adjacente.

Bom para o poder público, que reduz seu papel e tem uma economia de custo ao transferir para a iniciativa privada parte da responsabilidade da gestão do espaço público.

Mas ruim para a cidade, pois a noção equivocada do que significa “espaço público” gera a ambiguidade de sentido de propriedade, fazendo com que alguns moradores e comerciantes tratem a calçada como “sua”, admoestando quem ali permaneça sem sua autorização ou ocupando-a de maneira irregular, como se propriedade particular fosse de fato.

As legislações municipais evasivas e ações imprevisíveis da autoridade administrativa são problemas que deverão ser enfrentados e debatidos algum dia, pois nenhuma narrativa deve subsistir acima da verdade, atropelando as evidências.

Controvérsias à parte, a mobilidade das pessoas e não dos veículos deve estar no centro da tomada de decisões e do planejamento de transportes.

As cidades devem priorizar a caminhada, os modais ativos e coletivos, o compartilhamento eficiente e toda sua interconectividade. Afinal, o futuro das cidades é multimodal e integrado.

Fernando Repinaldo é especialista em Administração Pública, Gestão de Projetos e Engenharia de Tráfego

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Tribuna Livre

Mudanças de hábito valorizam a importância do papel

As embalagens estão cada vez mais no radar das empresas. Seja papel cartão, papelão ondulado ou nos moldes de leite longa vida, as embalagens de papel têm se tornado a menininha dos olhos no mundo …


Exclusivo
Tribuna Livre

A sociedade precisa saber mais sobre a agricultura familiar

Não há governante que, nos dias atuais, consciente do seu papel, não compreenda a necessidade de se investir num setor tão importante para o povo brasileiro. Muito se fala em manutenção do homem …


Exclusivo
Tribuna Livre

Novos modos de vida e a “economia de baixo contato”

Enquanto algumas tendências sinalizam movimentos socioculturais ou respostas para os desafios globais persistentes, outras emergiram do contexto específico da pandemia da Covid-19. A tendência da …


Exclusivo
Tribuna Livre

Trezena de Santo Antônio muda de data sem perder a vocação

Há quase oito décadas, com festivas solenidades, é pela primeira vez que a Trezena de Santo Antônio deixou de acontecer nos 13 dias do mês de junho, na Paróquia e Santuário-Basílica, em Vitória. A …


Exclusivo
Tribuna Livre

A modernização dos cartórios em tempos de Covid-19

Mesmo antes da pandemia, o sistema cartorário já tinha migrado diversos serviços para serem solicitados e feitos através das centrais online. Durante o período da quarentena, essas centrais se …


Exclusivo
Tribuna Livre

É preciso mais atenção à vida e à respiração saudável

Sabe-se que a poluição do ar pode comprometer a saúde da criança, do adulto ou do idoso. Lei ambiental a ser aplicada em prol da vida filtraria o ar em residências e nos ambientes eventuais do …


Exclusivo
Tribuna Livre

Desafios da advocacia no Brasil pós-pandemia do coronavírus

Desde o dia 11 de março, quando o governo federal decretou situação de emergência na saúde pública decorrente da Covid-19, a sociedade se viu afastada das suas rotinas afetivas e grande parte foi …


Exclusivo
Tribuna Livre

Profissional pós-pandemia terá de ser mais calmo e resiliente

Vivemos em um tempo de mudanças bruscas na relação com as pessoas, na relação profissional, familiar, ambiental. Enfim, estamos mudando radicalmente conceitos pré-estabelecidos por décadas. Essas …


Exclusivo
Tribuna Livre

Nova lei de proteção de dados traz desafios para empresas

A lei 13.709/18, que trata da proteção de dados pessoais, conhecida pela sigla LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), está para entrar em vigor. Resumidamente, ela regula como empresas, pessoas …


Exclusivo
Tribuna Livre

Você sabe com quem está falando?

No início de julho, matéria jornalística exibiu vídeo no qual uma mulher humilhava um fiscal responsável por conferir o cumprimento das normas contra a Covid-19, num bar do Rio de Janeiro. Ao ser …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados