search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Duas mulheres agredidas pelos maridos no fim de semana

Notícias

Polícia

Duas mulheres agredidas pelos maridos no fim de semana


 (Foto: Thiago Coutinho)
(Foto: Thiago Coutinho)
Agredidas pelos próprios maridos, duas mulheres foram parar no hospital no final da noite do último domingo. As vítimas, de 25 e 26 anos, foram espancadas em suas casas, nos bairros de Nova Canaã, em Cariacica, e Barramares, Vila Velha.

De acordo com a polícia, uma segurança, de 25 anos, foi agredida pelo marido dela, um motorista de aplicativo, de 29 anos. O caso aconteceu por volta das 23h, e a irmã da vítima precisou entrar na residência para intervir, já que o suspeito estava dando vários socos e chutes na vítima. Ela foi levada pela família até o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória.

O outro caso aconteceu na mesma noite, em Barramares. Uma mulher de 26 anos informou aos policiais que o marido dela, de 31 anos, deu vários socos em seu rosto, provocando um corte na testa. O Samu socorreu a vítima.

Os dois suspeitos fugiram. A Polícia Civil informou que os casos foram registrados no Plantão Especializado da Mulher (PEM), sem a condução de nenhum suspeito. Os casos seguirão sob investigação nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs) dos respectivos municípios.

Ferida na frente dos filhos

A família da vítima que é segurança conta que viveu momentos de terror ao presenciar a agressão. Após retornar da igreja e deitar para descansar, a irmã da segurança ouviu gritos muito fortes.

“Quando eu cheguei na varanda eu vi que ela já estava no chão e ele pegava o braço e o pé dela e lançava contra parede. Enquanto eu gritava por ajuda ele pisava no pescoço e no rosto dela com força, foi quando meu marido arrombou a porta e encontramos minha irmã desacordada”

A família também conta que conseguiu conter o agressor e socorrer a vítima. “Eu fiquei desesperada, vi minha irmã no chão sangrando muito sem conseguir respirar com o sangue do nariz entrando na boca. Chamamos uma ambulância, mas decidimos não esperar ”


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados