search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

DNA de vencedor...
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


DNA de vencedor...

O saldo do Flamengo é dos mais positivos – à altura do elenco montado com o investimento inicial superior a R$ 200 milhões. E essa balança favorável entre expectativa e realidade é o que faz do time de Rogério Ceni o favorito no confronto de hoje, contra o Internacional, no Maracanã, na primeira das duas partidas que podem lhe valer o segundo título consecutivo do Brasileiro.

E falo de duas partidas porque o empate ou até mesmo a vitória rubro-negra empurram a decisão do título para a última rodada, no meio de semana – o Flamengo medindo forças com o São Paulo, no Morumbi, e o Inter recebendo o Corinthians, no Beira Rio. Ou seja: decisão mesmo é apenas para o time gaúcho, que (é bom lembrar!) liderou 15 das 36 rodadas já disputadas.

A equipe antes dirigida pelo argentino Eduardo Coudet assumiu a primeira colocação na quinta rodada e sustentou a liderança até a décima, perdendo-a em função de empates com Palmeiras e Bahia, e derrotas para Goiás e Fortaleza. Reassumiu o posto na 16ª, encaixando três vitórias seguidas, mas deixou-a fugir na 19ª, com derrota para o Corinthians, após empate com o Flamengo.

O treinador argentino ainda dirigiu o time no 2 a 2 com o Coritiba pela 20ª, mas deixou o clube para comandar o Celta de Vigo, na Espanha. Abel Braga comandou o time já na 21ª rodada, contra o Santos, e, após quatro tropeços (duas derrotas e dois empates) iniciou a corrida de recuperação. Na 31ª, após o 5 a 1 sobre o vice-líder São Paulo, assumiu a ponta e construiu vantagem.

O Flamengo, então dirigido por Domènec Torrent, passou nove das dez primeiras rodadas fora do G-4, mas a partir da 11ª se postou entre os quatro primeiros e dali não mais saiu. Nem no período de turbulência que decretou a saída do espanhol, nem nos dias mais difíceis de Rogério Ceni que assumiu o time na 21ª rodada, e amargou eliminações na Copa do Brasil e Libertadores.
O Flamengo não liderou a disputa em nenhuma das 36 rodadas, mas passou as últimas 26 entre os primeiros.

A qualidade do elenco o sustentou nos dias de tensão e o perfil vitorioso dos jogadores impediu que o pessimismo o empurrasse para baixo. Essa combinação hoje vende a impressão de que o time de Ceni parece mais pronto para o rali com o colorado de Abel Braga. Times com DNA de vencedor...

Desespero
FORÇA, Vasco...

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Dos onze jogadores que Rogério Ceni levou a campo para a final da Supercopa do Brasil, na manhã de ontem, em Brasília, apenas quatro não jogaram em clubes europeus: Willian Arão, Rodrigo Caio, …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Os superclubes...

Grosso modo, levando em consideração que no Brasileirão de pontos corridos as partidas decisivas são aquelas contra os mais diretos concorrentes, sinto-me em condições de dizer que o Flamengo perdeu …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O último suspiro

O projeto de reformulação administrativa, econômico-financeira e organizacional anunciado pelo Botafogo no início da semana é sopro de esperança na retomada da capacidade de investimento. Jorge …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Euforia e depressão

Alinhar a eficiência do time com a paciência da torcida talvez seja o maior dos desafios que as diretorias de Botafogo e Vasco terão pela frente até o final deste segundo ano pandêmico. Porque a …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

A vitória por 3 a 2 sobre o Nova Iguaçu deu ao Volta Redonda a liderança provisória do Carioca. E a três rodadas do final da fase classificatória, já não se discute até onde poderá chegar o vice-camp…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Entre flores e espinhos...

A vitória do Flamengo sobre o Bangu na sétima rodada do Carioca, no retorno do time principal, trouxe a irritante euforia desmensurada já vista em outros momentos sob o comando de Rogério Ceni. O …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Balanço negativo...

Quando Rogério Caboclo disse sem meias palavras que os clubes brasileiros estariam em maus lençóis se a CBF não peitasse o discurso da paralisação do futebol o presidente da entidade pode ter …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

O Botafogo foi o único dos quatro grandes do Rio a vencer na sexta rodada do Campeonato Carioca. Um torneio em que três dos chamados pequenos estão à frente do Fluminense e do próprio Botafogo, e …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A máquina de moer...

Ainda que sejam a cada ano mais irrelevantes, os Estaduais seguem atormentando os técnicos no Brasil. Principalmente os contratados para montar trabalhos autorais e ensaiar sistemas que …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Efeitos colaterais

A decisão de limitar em dois o número de treinadores inscritos por cada clube nos Brasileiros das Séries A e B deste ano ainda não foi totalmente digerida. Mas alguns experientes profissionais já …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados