X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Condomínios limitam área de lazer, e obras só as emergenciais

| 18/03/2021 11:54 h

Imagem ilustrativa da imagem Condomínios limitam área de lazer, e obras só as emergenciais

Impedir a realização de obras, limitar e até mesmo proibir o uso de áreas de lazer estão sendo algumas medidas adotadas por síndicos e administradoras de condomínios para evitar a proliferação do coronavírus e em atendimento ao decreto publicado nesta semana pelo governo do Espírito Santo.

A quarentena, que a princípio durará até o dia 31 de março, já traz suas consequências para os condomínios, que precisarão fortalecer suas regras de convivência e uso de algumas áreas.

“As obras emergenciais não podem ser interrompidas ou impedidas de serem realizadas. São necessárias e devem ser feitas. São obras como as de correção de eventuais vazamentos, rompimento de tubulações, danos estruturais, entre outras situações, que não podem aguardar, que precisam ser feitas imediatamente”, aponta Juliana Monteiro, diretora da M&M Gestão Condominial.

Juliana aponta também que a manutenção de equipamentos, como elevador e outros itens importantes para a segurança dos moradores dos condomínios, não devem ser interrompidas. “Os prestadores de serviço precisam estar equipados, de máscara, além de outras medidas protetivas. Mas a manutenção dos equipamentos precisa ser realizada”.

Obras e reformas, ou até mesmo uma simples pintura, que tenham característica de embelezamento ou modernização, podem aguardar. As obras já iniciadas não precisam ser interrompidas, mas vale o bom senso e uma boa negociação em relação ao horário de realização para que o barulho não atrapalhe quem está em casa trabalhando ou estudando.

As recomendações publicadas no decreto também mexem com a rotina nas áreas de lazer. Segundo o documento estão proibidas as reuniões, excetuadas as pertencentes ao mesmo núcleo familiar, incluindo quaisquer tipos de eventos sociais. Além disso, os administradores e síndicos de condomínios verticais e/ou horizontais devem limitar a utilização, simultânea, das áreas de uso comum de lazer para os moradores do mesmo núcleo familiar.

Ou seja, áreas como quadras, salão de festas e jogos, piscinas e churrasqueira só podem ser frequentadas por pessoas da mesma unidade. Mas, claro, cada condomínio vai colocar suas regras de utilização ou não dos espaços, sempre limitado ao que determina o decreto.

Stella Cavalcante, síndica de um condomínio na Praia da Costa, fechou a academia e definirá, em reunião, as regras para utilização. “Como são poucos os moradores que utilizam o espaço, é possível repetir o que adotamos no ano passado: agendamento do espaço, somente um morador por hora ou membros da mesma unidade. Quem sair limpa os equipamentos, quem chegar limpa também, e ainda com intervalo de uma hora de uso entre os moradores. Funcionou muito bem da outra vez”.

A quadra de esportes e parquinho infantil, de acordo com a síndica, ficarão fechados. E para uso da piscina deverá ser adotada a mesma regra da academia.

“É momento de todos se cuidarem. A torcida é para que isso acabe logo, e todos possamos voltar às nossas vidas”.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS