search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Delegado lamenta assassinato do filho: "Tiro à queima-roupa"

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Delegado lamenta assassinato do filho: "Tiro à queima-roupa"


 (Foto: Kadidja Fernandes/AT)
(Foto: Kadidja Fernandes/AT)

O delegado aposentado Adelias Vieira da Costa, pai do operador de máquinas Jackson Franklin Rodrigues, morto pelo tio na manhã desta terça-feira (14), contou que as discussões entre tio e sobrinho eram constantes.

“Meu irmão e os filhos faziam gato de energia, de água, e meu filho sempre coibia. Essas coisas foram acumulando”, lembrou o delegado emocionado. O irmão dele, um policial civil afastado, é o suspeito do crime.

Tio e sobrinho moravam em um terreno onde estão construídas várias casas, na Glória, em Vila Velha. O local era de propriedade do avô, que faleceu há mais de 5 anos e deixou o terreno como herança. De acordo com Adelias, uma testemunha afirmou que o operador de máquinas ouviu o tio conversando com uma moradora do terreno sobre o descarte do lixo.

“Meu irmão estava dizendo que ia jogar o lixo lá na frente da casa. Meu filho disse para ele, então, que lá não era lugar de jogar. Eles se agrediram e meu irmão sacou a pistola, atirando à queima-roupa na testa dele. Um tiro só eliminou meu filho”, disse.

A Polícia Civil ainda não prendeu o acusado do crime. A quantidade de tiros também não foi passada oficial pelos investigadores.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados