search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Deixa para amanhã
Painel da Folha de São Paulo

Deixa para amanhã

Governadores de nove estados abriram mão de economizar parte de um total de R$ 2,58 bilhões em 2020 e 2021 ao adiarem o início da vigência de pontos da reforma da Previdência dos militares estaduais – policiais e bombeiros.

Rio e Minas, que atravessam severa crise, estão entre as unidades que renunciaram à poupança, estimada pelo governo federal. A brecha foi aberta pela lei, aprovada no Congresso no ano passado, que mudou as regras de aposentadoria das corporações.

Preto no branco
Termina na próxima sexta-feira o prazo previsto pela lei para que governadores, por meio de decreto, adiem para 1º de janeiro de 2022 a regra que estende o tempo de miliares estaduais na ativa.

Lista
Já assinaram a medida os governadores de Espírito Santo, Santa Catarina, Acre, Rondônia, Tocantins, Rio Grande do Norte e Pernambuco – além de Minas e Rio, onde os governadores Romeu Zema (Novo) e Wilson Witzel (PSC) foram eleitos com apoio das forças de segurança ao se alinharem ao bolsonarismo.

Cruz e a espada
Representantes de policiais militares de Minas dizem que Zema cedeu para não perder 7 mil homens em condição de se aposentar voluntariamente, mas não compulsoriamente, que deixariam a corporação em 2019 se não houvesse o decreto atrasando a entrada da reforma.

Deadline
Em São Paulo, as associações de policiais esperam pela posição do governador João Doria (PSDB), mas veem com descrença a chance de o tucano adiar o início das novas regras. A questão será decidida no início desta semana, quando os secretários responsáveis voltam de férias.

Comigo não tá
O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirma que não pretende concorrer à Prefeitura de São Paulo, embora seus aliados tenham cogitado essa possibilidade. “Meu candidato é Bruno Covas. E ele será candidato, é jovem e vai superar a doença”, disse Alckmin ao Painel ontem.

Afazeres
O ex-governador afirma que já tem outros planos para 2020: matricular-se em pós-graduação em saúde pública. Seus colegas de partido, no entanto, não desistem do seu retorno à vida pública. Dizem que o PSDB terá candidato a governador em São Paulo em 2022 e que o nome mais cotado é o de Alckmin.

Chama o bombeiro
A primeira nota redigida pelo ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) para comentar a morte do general iraniano Qassim Suleimani era ainda mais dura do que a divulgada no último dia 3 pelo Itamaraty, logo após o ataque dos EUA. Foram outros auxiliares de Bolsonaro, do Ministério da Defesa, por onde passou o texto, que o amenizaram.

A metade…
A versão original da nota mencionava atentados terroristas nos anos 90 em Buenos Aires, e acusava o Irã de ter patrocinado esses ataques. Ainda hoje o episódio gera dúvidas na Argentina.

...do dobro
O texto que acabou saindo, com a posição oficial do governo brasileiro, baixou o tom e reduziu a manifestação a críticas ao terrorismo. Mesmo assim, gerou reprimenda diplomática do Irã.

Muita calma
No mesmo dia do ocorrido, o representante brasileiro na AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) tinha reunião no Itamaraty. Aproveitou para atualizar o governo sobre o Irã. Relatou que o país seguia aberto às inspeções da agência. Por isso, foi interpretada como frágil a tese de uma escalada nuclear.

Melhor que remediar
Deputados e o grupo de ex-reitores que auxiliam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sugeriram ao parlamentar blindar o PNAES (Plano Nacional de Assistência Estudantil) – que oferece ajuda de custo a alunos de universidades em situação de pobreza. O programa existe apenas por força de um decreto, e o ideal seria formalizá-lo em lei.

Melhor que remediar II
A avaliação é que, sem o auxílio, muitos abandonariam os estudos. Acadêmicos narram que o MEC, sob Abraham Weintraub, já demonstrou interesse em rever o programa.

Nada com isso
Auxiliares do ministro dizem que, por ora, não há proposta concreta para reformular o programa.

Tiroteio

“Tucanos foram pais do crescimento do PCC em prisões, e sob BolsoDoria a facção inovou na versão que age como milícia”. Do deputado Alexandre Padilha (PT-SP) sobre avanço e exploração comercial do PCC em terrenos, prédios e áreas protegidas de SP.

Publicação simultânea com a Folha de São Paulo
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Homem ao mar

Como forma de reduzir a crise na Secretaria de Comunicação, auxiliares de Jair Bolsonaro avaliam que Fábio Wajngarten tem que agir de modo mais efetivo e deveria optar por afastar Fábio Liberman, …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Devagar com o andor

Apesar da intenção de apresentar a reforma administrativa em fevereiro, a equipe econômica foi advertida de que trechos incomodam algumas categorias de servidores e podem complicar o avanço do tema. …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Espólio de guerra

Um dos pontos que o governo avalia para a venda dos Correios é o que fazer com um contingente de cerca de 40 mil pessoas que possivelmente vão perder o emprego com a privatização da estatal. Em …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Ao gosto do freguês

Advogados que atuam em causas penais já vislumbram a possibilidade de usar o juiz das garantias a favor de réus que hoje defendem. Um dos pontos que emergem é a leitura de que a nova figura …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

A César o que é de César

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autorizou a redução do valor do DPVAT neste ano não encerra a queda de braço travada pela área econômica com as administradoras do seguro. A …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

O que tem para hoje

Apesar da resistência em autorizar novas despesas, a equipe econômica indicou ao Palácio do Planalto que deve liberar R$ 2,6 bilhões neste ano para o 13º do Bolsa Família. Já a reformulação …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Um cajado, dois coelhos

Parlamentares e integrantes do Ministério Público Federal querem aproveitar a dificuldade de implementar o juiz das garantias na Justiça Eleitoral para impulsionar debate sobre a possibilidade de …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Da porta para dentro

Na falta de definição sobre quem será o candidato do PT que disputará a Prefeitura de São Paulo, o ex-presidente Lula demonstrou preocupação de que as prévias, previstas para 15 de março, resultem em …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Bumerangue

A sanção do juiz das garantias por Jair Bolsonaro será anexada à ação movida por Lula na ONU. A defesa do ex-presidente pretende fazer nova atualização no processo que tramita no Comitê de Direitos …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

De quem é a culpa

A ameaça de aumento do preço dos combustíveis, em razão do conflito dos EUA com o Irã, monopolizou as conversas de caminhoneiros ontem. Lideranças acionaram ministros e querem levar as queixas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados