search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Criança morre em menos de três horas com suspeita de meningite em Cachoeiro

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Criança morre em menos de três horas com suspeita de meningite em Cachoeiro


Uma menina de três anos morreu em Cachoeiro de Itapemirim menos de três horas após começar a passar mal. Segundo familiares, Angela Isadora Silva Gomes teve um dia normal até sentir febre por volta de 21 horas de terça-feira (30). Às 23h30, ela não resistiu e morreu.

Médicos suspeitam de meningite, que é a inflamação da meninge, a membrana que reveste o cérebro ou meningococcemia, infecção bacteriana rapidamente fatal, pois atinge a corrente sanguínea.

Angela Isadora Silva Gomes tinha 3 anos e morreu na terça-feira (30). (Foto: Acervo Pessoal)
Angela Isadora Silva Gomes tinha 3 anos e morreu na terça-feira (30). (Foto: Acervo Pessoal)
O Hospital Infantil, onde a criança estava internada, aguarda resultado do exame. O atestado de óbito apontou para parada cardíaca e choque séptico, como causa morte.

Angela foi sepultada ontem, por volta de 15 horas, no cemitério do bairro Coronel Borges, em Cachoeiro.

De acordo com o avô, o funcionário público Sebastião Apolinário Filho, 56 anos, a neta não apresentou sintomas. “Ela acordou bem, brincou o dia todo, tomou café, almoçou, fez o lanche à tarde. Só por volta de 21 horas começou a ter febre”, relembrou.

Segundo Sebastião, a avó Angela Maria Gomes, que cuida da criança, deu remédio para baixar a temperatura, mas a febre não cedeu.

Por volta de 22h a família procurou o Pronto Atendimento Infantil (PAI) do bairro Aquidaban, que transferiu a criança para o Hospital Infantil. Ela teve parada cardíaca. “Tentaram reanima-la, mas não teve jeito”, lamentou o avô.

A Secretaria de Saúde de Cachoeiro informou que deu início ao protocolo de profilaxia. Familiares e outras pessoas que tiveram contato com a menina vão receber medicamento a partir de hoje para evitar possível contaminação.

De acordo com o médico infectologista Luis Henrique Borges, tudo indica que a criança tenha sido vítima de meningococcemia em função da evolução rápida da doença.

“É provocada pela mesma bactéria que causa a meningite, só que evolui para a sepse – a invasão da corrente sanguínea – e pode ser fulminante”, explicou o especialista.

Ele explica que a melhor maneira de prevenir tanto a meningite quanto a meningococcemia é por meio de vacina, que é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nas campanhas de vacinação.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados