search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Coser: “Vou reabrir o restaurante popular e criar o Banco Vix”

Notícias

Publicidade | Anuncie

Eleições 2020

Coser: “Vou reabrir o restaurante popular e criar o Banco Vix”


João Coser é candidato a prefeito de Vitória (Foto: Fábio Nunes/AT)
João Coser é candidato a prefeito de Vitória (Foto: Fábio Nunes/AT)
O ex-prefeito João Coser (PT) quer voltar a ocupar a cadeira que foi sua entre 2005 e 2012. Ele disputa com o deputado estadual Delegado Pazolini (Republicanos) a Prefeitura de Vitória.

No currículo, carrega a ampliação da avenida Fernando Ferrari, o parque Tancredão e a Ponte da Passagem. Se eleito novamente, promete criar o Banco Vix, onde pequenos empreendedores locais poderão conseguir empréstimos para se manter de pé no pós-pandemia, além de reabrir o Restaurante Popular. A seguir, suas propostas.

A TRIBUNA – O que Vitória tem de melhor e em que precisa avançar?

JOÃO COSER – Um povo extremamente amável, que tem uma preocupação muito grande com o destino da cidade. Vitória tem uma boa urbanização e infraestrutura, que, infelizmente, contrastam com o que falta nos morros, mas que também têm seus encantos.

É preciso avançar muito na redução das desigualdades. Precisamos fazer mais investimentos em infraestrutura, políticas sociais, desenvolvimento urbano e econômico das regiões de maior vulnerabilidade, para que se tenha uma cidade mais igual.

Isso implica fazer investimentos na área de educação, para que as crianças das regiões mais empobrecidas tenham o mesmo tratamento e as mesmas oportunidades das crianças das áreas mais nobres da cidade. São os mesmos professores, a mesma remuneração, mas não se tem o mesmo desempenho no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Qual será sua primeira grande ação, ainda nos 100 dias iniciais de governo, se eleito?

Reabrir o Restaurante Popular, iniciar o trabalho para implantação das cozinhas comunitárias e criar toda a estrutura necessária para a criação do Banco Vix.

Quais investimentos em infraestrutura pretende fazer?

Desenvolver todas as ações e obras que estão contemplados no financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) — são mais de R$ 500 milhões contratados pela gestão atual. Teremos muitas obras, com destaque para o projeto da Baía Noroeste, duas novas unidades de saúde, quatro novas escolas, ciclovia e ainda um aporte importante de recursos na melhoria da rede de atendimento da assistência social.

Como reduzir engarrafamentos?

Quero viabilizar a abertura da Praça do Cauê (criando assim duas praças menores) para melhorar a fluidez do trânsito. Ainda farei a integração do Sistema Municipal com o Sistema Estadual de transporte e a tarifa única, a implantação de ciclovias. Também tenho projetos para facilitar o acesso e a mobilidade nos morros.

O senhor é a favor de linhas exclusivas para ônibus?

Já existe um projeto do governo do Estado consolidado e pretendo apoiar a sua implantação. Não faz sentido que eu me oponha.

Qual será a sua política em relação ao uso de bicicletas como meio de transporte?

Continuaremos intensificando a construção de ciclovias e o trabalho de educação no trânsito.

Como fazer para ampliar o atendimento nas unidades básicas de saúde e diminuir a fila por exames e consultas?

A primeira medida é aperfeiçoar o sistema de marcação de consultas, recompor as equipes das unidades básicas. Com a tecnologia à disposição, não se justificam todas essas filas e pessoas acordando de madrugada para marcar horário.

E, para isso, atuaremos na implantação de internet pública nas regiões de maior vulnerabilidade. Afinal, não basta disponibilizar o sistema, temos que fazer com que ele seja acessível para todos.

Além disso, temos que ampliar as consultas e exames especializados nos Centros de Especialidades Médicas, por meio de apoio inclusive aos hospitais das redes públicas e filantrópicas. As consultas e os exames estão demorando muito. Também pretendo criar referência no Centro Municipal Especialidades voltado para a saúde da mulher.

Há uma escalada de violência nas regiões da Piedade, Moscoso, Itararé e Bairro da Penha. Como a Guarda Municipal, na sua gestão, vai ajudar a PM a controlar a segurança?

Vamos trabalhar para ampliar e fortalecer a Guarda, com formação continuada, equipamentos e uma maior integração com a PM. Também com investimentos em tecnologia e inteligência para otimizar e dar mais efetividade e agilidade. Atuaremos na criação de oportunidades, de o acesso às políticas públicas e à melhoria da infraestrutura nos bairros, como iluminação pública, para reduzir a sensação de insegurança.

Precisamos investir em espaços de lazer e cultura, de práticas esportivas, na ampliação da educação em tempo integral, qualificação e formação profissional, geração de emprego e renda para o jovem e, assim, evitar que ele acabe no tráfico.

A insegurança envolvendo usuários de drogas nas ruas dos bairros tem aumentado, inclusive com incidentes de violência. Como vai lidar com o problema?

Vou implantar uma nova unidade do Centro de Atendimento à População de Rua, a fim de ampliarmos o atendimento, proporcionar condições para que elas possam se cuidar, alimentar, estudar e recompor suas vidas.

Para isso, o serviço de abordagem social precisa também ser fortalecido, além de outros programas como a oferta da Educação para Jovens e Adultos, para que estas pessoas possam ter oportunidade.

Sobre a pandemia, o que é preciso fazer para reduzir a propagação do coronavírus?

Estamos propondo um plano de atenção psicossocial, ampliando e fortalecendo a Rede de Atenção Psicossocial. E a criação do Banco Vix, para recuperar os negócios que foram abalados financeiramente com acesso ao crédito à população de baixa renda e aos pequenos negócios.

Qual será sua política de governo em relação aos servidores municipais. Prevê concursos?

É fundamental que a composição e recomposição do quadro de servidores se dê, prioritariamente, por meio de concurso público.
Atuarei da forma mais correta e responsável possível, considerando, inclusive, a situação orçamentária.

Seu partido só elegeu um vereador. Como garantir que haverá governabilidade na Câmara?

No meu caso, nos dois mandatos, a presença era de dois vereadores e nem por isso deixei de ter governabilidade com 12/14 vereadores me apoiando. Não tenho nenhuma dificuldade. Depois que você senta na cadeira de prefeito, não tem mais partido.

O que o senhor pensa do governo Bolsonaro e como será a relação com Brasília?

Vou me comportar como prefeito de uma capital, identificar os projetos que têm sintonia com as políticas do governo federal, apresentar aos ministérios como é de praxe e vou fazer articulação política como sempre fiz. Tenho certeza de que vou contar com a bancada federal. Vou também apresentar projetos das instituições financeiras como BID, BNDES e Caixa Econômica.

E a relação com o governo Casagrande no Estado?

Tenho como amigo. Será uma relação muito proveitosa, muito respeitosa e vamos valorizar a articulação de alto nível.


PERFIL DE JOÃO COSER


  • Cidade em que nasceu: Santa Teresa
  • Idade: 64 anos
  • Profissão: Comerciário
  • Formação: Bacharel em Direito
  • Carreira: Foi presidente da Central Única dos Trabalhadores e fundador do Partido dos Trabalhadores (PT). Foi eleito deputado estadual em 1986 e 1990, deputado federal em 1994 e 1998 e prefeito de Vitória em 2004 e 2008. Em 2015 e 2016, Coser foi secretário de Desenvolvimento Urbano no Governo do Espírito Santo.
Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados