X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Vacina italiana pode ser testada em 30 mil capixabas

| 19/03/2021 11:45 h | Atualizado em 19/03/2021, 12:22

Em janeiro, segundo o governo de São Paulo, o Butantan entregou 8,7 milhões de vacinas CoronaVac ao Ministério da Saúde
Em janeiro, segundo o governo de São Paulo, o Butantan entregou 8,7 milhões de vacinas CoronaVac ao Ministério da Saúde |  Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Estado negocia a possibilidade da vacina contra a Covid-19 produzida na Itália ser testada em 30 mil capixabas. O estudo seria da fase três.

O anúncio foi feito pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (19). “Estamos aguardando o avanço da negociação”, explicou.

O secretário destacou que o Espírito Santo também tem conversas com a farmacêutica chinesa Sinovac, que produz a Coronavac, e com os fabricantes da vacina russa Sputnik V.

O gerente Estadual de Vigilância em Saúde, Orlei Cardoso, também participou da coletiva e disse que há a expectativa da chegada de mais doses de imunizantes no fim de semana.

"Pretendemos finalizar a vacinação do grupo de 75 a 79 anos para começar com o grupo de 70 a 74 anos", relatou. 

Quarentena no Estado

Na quinta-feira (18) todo o Espírito Santo entrou em quarentena por 14 dias. Medidas mais restritivas foram tomadas para frear o avanço do coronavírus no Estado.

Fernandes pediu que a população respeite o que foi determinado pelo decreto e afirmou acreditar que “a ampla maioria do povo está ciente do que ocorre no País”.

“A nossa luta é contra um vírus, é para poder preservar as vidas. O Brasil está em crise e aqui no Espírito Santo vamos seguir resistindo para evitar que o pior aconteça”, relatou.

O secretário pediu que as pessoas tenham amor próprio e se protejam. “O seu comportamento coloca sua vida em risco. Tenha empatia, entenda a gravidade do momento que a gente vive. Não queremos que seja pela dor, pelo luto, que você se sensibilize”, completou.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS