X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Segunda dose da Pfizer pode ser "antecipada" em seis dias

| 03/08/2021 16:36 h | Atualizado em 03/08/2021, 17:19

Vacina Comirnaty da PFizer/BioNtech
Vacina Comirnaty da PFizer/BioNtech |  Foto: Cristine Rochol/PMPA/Divulgação

Quem estiver perto de receber a segunda dose da vacina da Pfizer precisa ficar atento aos dias entre as duas aplicações. Isso porque, durante uma coletiva de imprensa, na tarde desta terça-feira (3), o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin explicou que o agendamento pode ser feito 6 dias antes do prazo máximo entre uma dose e outra, que é de 84 dias.

Ou seja, entre os dias 78 e 84, a partir da primeira aplicação, período considerado como 12º semana, o morador já pode agendar a sua segunda dose. No entanto, de acordo com Reblin, isso não representa uma "antecipação" da aplicação da segunda dose, como foi feito com a vacina da AstraZeneca, seguindo recomendações da própria bula do imunizante.

"Em relação à Pfizer, houve um pouco de ruído na informação. Não á redução no período de vacinação entre uma dose e outra, o que nós orientamos é uma organização da aplicação dessa segunda dose. Eu não posso definir que aos 84 dias, naquele único dia, um grupo imenso de pessoas vai tomar a sua dose no Espírito Santo", afirmou.

Segundo o subsecretário, a recomendação para esse prazo é feita pelo próprio Ministério da Saúde. "Nós organizamos e orientamos as cidades para que, dentro desta semana 12, preparar o agendamento e a vacinar as pessoas com a segunda dose da Pfizer".

Reblin ainda afirmou que um comunicado com essa explicação já foi encaminhado aos municípios, "para tirar dúvida que ficou pendente". 

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, reforçou a fala de Reblin e explicou esse prazo não representa uma antecipação da aplicação da dose, "mas um prazo operacional razoável para poder garantir que os municípios e a população consiga agendar a sua vacina dentro do prazo aproximado e limite de 84 dias, que é o prazo máximo para garantir o reforço da segunda dose da Pfizer, definido pelo Ministério da Saúde".

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS