Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

"Se for necessário, tomarei medidas mais extremas", diz Casagrande

| 01/06/2020 20:00 h | Atualizado em 02/06/2020, 00:30

Durante o primeiro pronunciamento desde que precisou se afastar por conta do coronavírus, o governador Renato Casagrande voltou a reforçar nesta segunda-feira (1º) que pode chegar a medidas extremas na busca de aumentar o isolamento social no Estado durante a pandemia.

"Se for necessário, tomarei as medidas mais extremas. Nossa prioridade é salvar vidas", disse Casagrande. 

Assim como tinha dito em oportunidades anteriores, esse maior rigor tem a ver com o nível de ocupação de leitos de Unidade Terapia Intensiva (UTI) no Espírito Santo.

A medida seria tomada caso a ocupação chegue a 91%. Atualmente, ela é de 82,44%, informou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

"Se chegar a 91%, vamos ter que fechar comércios e serviços. Eu não gosto da palavra lockdown, porque ela significa fechamento total, com as pessoas não podendo sair às ruas. Mas teremos que tomar medidas de restrição às atividades econômicas e sociais com mais rigor. Espero não chegar a esse ponto", ressaltou o governador.

O governador Renato Casagrande em seu primeiro pronunciamento após ser diagnosticado com coronavírus.
O governador Renato Casagrande em seu primeiro pronunciamento após ser diagnosticado com coronavírus. |  Foto: Reprodução/Governo do Estado

No dia 20 de maio, Casagrande já havia falado sobre um isolamento social mais severo no Estado. Na ocasião, ele também destacou o esforço do Estado em aumentar o número de leitos para atender as pessoas infectadas pela Covid-19.

“Boa parte dos municípios terão de paralisar suas atividades. Eu não gosto da palavra lockdown, mas é um isolamento muito rigoroso. Estamos tentando não chegar a isso. Estamos ampliando muitos leitos, e estamos com a doença no nosso calcanhar”, comentou. 

Assim como no fim de maio, Casagrande, nesta segunda, novamente falou sobre a ampliação de leitos em diversas cidades do Espírito Santo, não apenas para infectados com coronavírus, mas também para outras enfermidades.

"A partir de hoje, o Hospital dos Servidores, em Vitória, está atendendo ortopedia. Abrimos 70 leitos de enfermaria e 10 de UTI", comemorou. "Estamos liberando o Hospital Jayme (Santos Neves), na Serra, para que possa atender mais pacidentes de Covid-19", pontuou. 

Leia mais: Governador confirma que mãe também está com coronavírus

Outros hospitais também tiveram ampliações de leitos, segundo o governador, como a Clínica dos Acidentados de Vitória, o Hospital Infantil de Cachoeiro de Itapemirim e a Santa Casa de Guaçuí.

Novos leitos também devem ser criados nos próximos dias em Venda Nova do Imigrante. 

Além disso, a ampliação das UTIs dos hospitais pode acontecer com a chegada de novos respiradores. "Já estão vindo da Itália mais 100 respiradores. Eles chegaram a São Paulo e estão esperando ser montados para ampliar os leitos de UTI", disse Casagrande. 

Ainda de acordo com o governador, desde o início da pandemia, o número de novos leitos de UTI chegou a 600. Mas ele alerta: "Abertura de leitos não significa que vamos salvar todas as vidas".

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS