X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Prefeito capixaba decreta toque de recolher, mas autoriza abertura de lojas na quarentena

| 18/03/2021 16:17 h | Atualizado em 18/03/2021, 16:32

Cidade de Afonso Cláudio
Cidade de Afonso Cláudio |  Foto: Gabriel Lordello/Mosaico Imagem

Mesmo decretando um toque de recolher em Afonso Cláudio, o prefeito da cidade, Luciano Pimenta, autorizou que as lojas abrissem normalmente. A decisão do político entra em contradição com o que foi determinado pelo governo do Estado na última terça-feira (16).

No último domingo (14), Luciano publicou um decreto que proibia a permanência de pessoas em locais públicos das 22 horas às 6 horas da manhã. Nesse mesmo documento, a informação era de que todo o comércio ainda podia funcionar normalmente. 

Dois dias depois, na terça-feira (16), o governador do Estado, Renato Casagrande, colocou todos os municípios em risco alto no Mapa de Risco da Covid-19 e determinou 14 dias de quarentena para todas as cidades capixabas.

No decreto estadual foram listadas 24 atividades essenciais, que não sofreriam alteração em seu funcionamento durante esse período. Entre elas estão farmácias, serviço de atendimento à saúde, supermercados, postos de combustível e atividades da imprensa. 

Nesta quarta-feira (17), após a fala do governador, Luciano Pimenta editou as medidas do decreto do último domingo (14), aumentando o toque de recolher para a partir das 20 horas até às 6 horas da manhã.

No entanto, o que chamou a atenção é que o prefeito incluiu as lojas na lista do comércio considerado essencial. Ou seja, durante esses 14 dias, em Afonso Cláudio, esses comércios vão poder funcionar de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e aos sábados, de 7h às 13h.

Também aparece no documento assinado por Luciano a permissão para restaurantes e lanchonetes, sem atividades de bar, funcionarem de 11 horas da manhã até as 14 horas, com distanciamento de dois metros entre as mesas. Já no decreto estadual, todos os restaurantes, bares, lanchonetes e lojas de conveniência só podem funcionar por meio de entrega a domicílio (delivery).

Em um vídeo publicado nas redes sociais da prefeitura, Pimenta aparece ao lado da secretária municipal da Saúde, Carolina Dias Gomes, e afirma que tomou a decisão confiando que os cidadãos e comerciantes iriam respeitar a determinação e os protocolos contra a Covid-19.

A reportagem tentou contato com Luciano Pimenta, mas foi informada pela assessoria de imprensa que ele estava em reunião e não poderia atender. No entanto, justificou que as lojas vão continuar abertas porque o decreto do governo do Estado não especificava o fechamento de lojas varejistas e que essa decisão estava a critério do município.

Além disso, a assessoria também garantiu que o decreto está funcionando e que as pessoas estão respeitando as regras de enfrentamento ao vírus. 

Manifestação a favor do prefeito

Moradores do município estão organizando uma carreata para demostrar apoio a Luciano Pimenta, por acreditarem que ele está sendo pressionado pelo governo para fechar o comércio. Em algumas lojas, comerciantes pregaram cartazes nas vitrines com frases a favor do prefeito. "Luciano, você tem nosso apoio", diz uma das mensagens. 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS