X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Ministro já prevê divisão igual de doses de vacina contra a Covid entre estados

| 06/10/2020 11:41 h

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, declarou que os lotes das vacinas contra a Covid-19 serão distribuídos “igualmente” entre os estados quando os medicamentos forem aprovados.

O anúncio foi feito durante encontro com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, em Belo Horizonte, ontem, de acordo com o site R7. Pazuello também afirmou que deve convocar a imprensa para falar sobre o andamento das vacinas em teste no Brasil nos próximos dias.

Na última semana, o Ministério da Saúde informou que acompanha mais de 200 estudos sobre medicamentos contra a Covid-19. Entre as vacinas em estágio avançado nos testes estão a da fabricante chinesa Sinovac, a da Universidade de Oxford, a da multinacional Pfizer e a da empresa americana Johnson & Johnson.

Registro
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na última sexta-feira ter recebido dados iniciais para análise da vacina contra Covid-19 em desenvolvimento pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

O envio faz parte de um novo processo criado pela agência e que visa acelerar análises para um futuro aval à oferta do imunizante.

Dados são da Fundação Oswaldo Cruz
Dados são da Fundação Oswaldo Cruz |  Foto: Itamar Crispin/Fiocruz

Esse é o segundo pedido de revisão de estudos recebido pela Anvisa. O primeiro ocorreu na quinta-feira passada, após envio de dados da vacina em desenvolvimento pela farmacêutica AstraZeneca com a Universidade de Oxford.

Na prática, a medida indica um primeiro passo para que, se comprovada eficácia, as vacinas possam ser ofertadas no futuro à população. Ambas, porém, ainda estão em fase de estudos.

Chamado de “submissão contínua”, esse novo processo consiste no envio adiantado de documentos até que haja o pedido formal de registro, ou seja, de autorização para oferta das vacinas no mercado.

Até então, todos os dados de segurança, qualidade e eficácia tinham que ser apresentados de uma só vez a cada novo pedido de registro. Agora, há possibilidade de compartilhamento antecipado de dados.

O objetivo é dar mais agilidade ao futuro processo de autorização, informa a Anvisa. “Importante ressaltar que não existe, neste momento, nenhuma conclusão sobre a qualidade, a segurança e a eficácia de nenhuma das duas vacinas”, diz a agência.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS