Login

Atualize seus dados

Ministério da Saúde agora só quer vacina para adolescentes com comorbidades

16/09/2021 11:32:02 min. de leitura

O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, emitiu uma nova Nota Técnica restringindo a aplicação de vacinas contra a covid-19 para adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades, deficiência permanente ou que estejam privados de liberdade.

Para o Ministério, os adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidades, estão no último subgrupo elegível para vacinação e orientou que estados e municípios sigam estas orientações.

Na nota técnica, o Ministério da Saúde argumenta que "A maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela COVID-19 apresentam evolução benigna, apresentando-se assintomáticos ou oligossintomáticos" e que "os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos".

Outra argumentação é que apenas um imunizante está liberado para vacinação de adolescentes no país, o da Pfizer / Biontech, mas que a "a Organização Mundial de Saúde não recomenda a imunização de criança e adolescente, com ou sem comorbidades".

Secretário cobra respostas

Em seu Twitter, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, afirmou que o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) vão cobrar uma resposta mais clara do Ministério da Saúde.

Para o secretário, a nota informativa é "vaga, não é explicita: não suspende, nem contra-indica a vacinação de adolescentes" e que vai aguardar uma posição oficial da Anvisa para suspender a vacinação.

"Até nova posição da @anvisa_oficial a vacinação dos adolescentes está mantida no Espírito Santo", afirmou o secretário.

Leia Mais: Estado mantém vacinação de adolescentes contra a covid, diz secretário