X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Minas Gerais analisa seis casos de reinfecção pelo coronavírus

| 21/10/2020 09:30 h

Imagem ilustrativa da imagem Minas Gerais analisa seis casos de reinfecção pelo coronavírus
O Governo de Minas Gerais investiga seis casos de pacientes que tiveram Covid-19 e voltaram a apresentar sintomas da doença após serem considerados curados.

Entre os países que já tiveram casos confirmados estão Hong Kong, Holanda e Estados Unidos.

A Secretaria de Saúde de Minas não detalhou os casos, mas disse ao Portal R7 “que as investigações de reinfecção são realizadas pela SES-MG por meio do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde em parceria com a Fundação Ezequiel Dias e regionais de saúde”.

A Secretaria de Saúde de Minas considera caso suspeito de reinfecção todos aqueles pacientes que apresentam sintomas da Covid-19 após 90 dias do primeiro resultado positivo para a doença.
Desde setembro, quando foi confirmada a primeira reinfecção no mundo, o governo de Minas determinou que os médicos devem testar e avisar à Secretaria de Saúde sobre qualquer caso suspeito.

O primeiro caso de reinfecção, confirmado em Hong Kong, foi de uma pessoa assintomática. Já a Holanda, registrou a primeira morte causada pela reinfecção pelo coronavírus no mundo. Nos Estados Unidos a reinfecção foi em um jovem de 25 anos.

Espírito Santo

No Espírito Santo, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que estabeleceu investigação sobre casos de reinfecção por Covid-19 por meio da Vigilância Estadual em Saúde e pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen-ES).

“Até o momento, as verificações foram feitas em amostras de 22 pacientes. Deste quantitativo, em 19 amostras não foi possível realizar análise devido a falta de material da primeira coleta. Nas demais, a conclusão foi de duas amostras descartadas e uma inconclusiva para reinfecção”, disse, em nota.

A Sesa afirmou que serão abertas investigações caso sejam identificados novos casos suspeitos.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS