X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

"Esposa e mãe perfeita", lamenta marido de empresária que morreu de Covid-19

| 15/06/2020 21:28 h | Atualizado em 16/06/2020, 08:15

A paixão por bolos e doces de Letícia do Nascimento Parreiras, de 36 anos, vem da adolescência e a fizeram se tornar uma pessoa querida na cidade de Guarapari. Empresária e doceira, Letícia tinha uma loja no Centro da cidade, e vendia as guloseimas por encomenda.

Após oito dias internada no Hospital Praia da Costa, em Vila Velha, Letícia não resistiu e veio a óbito. A empresária era diabética e foi internada no último dia 5 de junho, quando a glicose dela chegou a 600 e ela apresentou complicações advindas de uma cetoacidose diabética. E durante a internação, uma notícia inesperada, Letícia contraiu a Covid-19.

“Ela não tinha sintomas do coronavírus antes de entrar no hospital. Mas não sabemos se o contágio foi no dia em que a gente esteve em um outro hospital, ou se foi no hospital onde ficou internada. Ela estava fazendo diálise de sangue, e precisou de doação de sangue. Algumas pessoas foram doar, mas ela veio a óbito”, conta o marido da empresária que trabalha na área industrial, Bernardo Reis, 37, que testou negativo.

Letícia do Nascimento Parreiras morreu após oito dias internada no Hospital Praia da Costa, em Vila Velha.
Letícia do Nascimento Parreiras morreu após oito dias internada no Hospital Praia da Costa, em Vila Velha. |  Foto: Acervo Pessoal

Na manhã de domingo (14), amigos e familiares fizeram uma carreata pelas ruas da cidade, até o cemitério, onde não puderam participar do enterro. Letícia foi enterrada com caixão fechado, e causou grande comoção.

“O enterro foi rápido e de caixão fechado. Os amigos e familiares fizeram uma carreata em homenagem a ela, enviaram coroas de flores, porque eles não puderam participar”, disse Bernardo.

Na certidão de óbito, consta que a empresária morreu por falência múltipla dos órgãos e sistema, e síndrome respiratória aguda, Covid-19, além da diabetes.

Por ser diabética desde a adolescência, Letícia produzia os bolos e doces, e não experimentava. O marido revela que tudo era feito com tanto carinho, que ela não errava na mão.

Letícia e Bernardo completaram 15 anos de união na semana passada, 10 somente de casados. A filha Giulia fez seis anos em abril, e o marido relata que é difícil até descrever um sentimento neste momento.

“Nesse momento, o que sinto é falta de calor humano. Ela era uma pessoa muito querida. Uma esposa e mãe perfeita”, finaliza Bernardo.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS