X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Crianças somam 50% dos internados com covid não vacinados no ES

A faixa etária que ainda não está contemplada pela vacinação teve grande proporção nos casos de internação pela doença

Nathália Cerri Cantarela | 22/06/2022 18:40 h

Sendo considerada a quinta onda de covid-19 no Estado, o Espírito Santo vive uma fase de crescimento da curva de casos de internações e também de mortes devido à doença. As crianças, hoje contempladas com a vacinação apenas após 5 anos de idade, não estão livres das complicações que o vírus pode causar.

Nos meses de abril e de maio, entre os não vacinados que internaram com covid-19, 50% deles tinha entre 0 a 4 anos, ou seja, faziam parte do público ainda não contemplado com a vacinação. Os dados foram passados nesta quarta-feira (22) pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

“Isso representa um alerta e motivou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) a nesta semana, na segunda-feira, formalizar à anvisa o reconhecimento da urgência da necessidade de aprovação imediata de vacinas para idade pediátrica que ainda não estão contempladas pelas atuais já incorporadas”, considerou o secretário.

Atualmente no Estado, as crianças podem se vacinar com doses de Coronavac a partir de 6 anos ou com a Pfizer pediátrica, a partir de 5 anos. Enquanto isso, alguns países como os EUA já vacinam bebês acima de seis meses. “Temos a vacina da Coronavac já aplicada em crianças com mais de 3 anos em diversos países. As nossas crianças merecem ser protegidas, imunizadas com vacinas que já tenham passado por fase de avaliação de eficácia e segurança e precisamos que elas estejam incorporadas ao plano nacional de imunização”, disse o secretário.

Atualmente, o Governo aguarda resultados parciais do projeto Curumim, realizado pelo  Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (HUCAM-UFES/EBSERH), com apoio da Fiocruz/Instituto René Rachou e do Butantan, que avalia o uso da Coronavac também nas idades de 3 e 4 anos. Atualizações sobre a pesquisa são aguardadas para os próximos 15 dias. 

Por enquanto, o Governo não prevê a volta de obrigatoriedade para uso de máscaras em escolas ou fechamento das mesmas.     

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS