Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cinco cidades capixabas estão em consórcio nacional para compra de vacinas

| 04/03/2021 19:21 h | Atualizado em 05/03/2021, 15:58

Dose de vacina contra a Covid-19
Dose de vacina contra a Covid-19 |  Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil

Cinco municípios capixabas manifestaram interesse em participar de um consórcio nacional para negociar e comprar vacinas contra a Covid-19 diretamente das empresas fabricantes.

De acordo com a lista, disponível no site da Frente Nacional dos Prefeitos (PNP), as cidades da Serra, Linhares, Aracruz, Venda Nova do Imigrante e Itapemirim manifestaram interesse em participar dessa iniciativa. 

Ao todo, 1.292 municípios brasileiros já se mostraram favoráveis ao consórcio, que pode realizar a compra dos imunizantes, caso o governo federal não consiga suprir a demanda de vacinas. A última atualização da lista aconteceu às 17h, desta quinta-feira (4). 

O prefeito da Serra, Sérgio Vidigal, lembrou que já se manifestou favorável a fazer parte de consórcio, desde que autorizado pela Justiça e respeitando o protocolo de todas fases de imunização elaborado pelo Ministério da Saúde. 

"A preocupação é muito grande com a pandemia e com atraso na imunização das pessoas. As pessoas se cansaram do vírus, mas o vírus está aí de pé. Primeiro, nós temos que ser autorizados Existe até algumas ações no Supremo (STF) de estados e municípios que estão solicitando fazer a aquisição", disse ele. 

Vidigal ainda destacou que, paralelo a autorização da Justiça, os municípios ainda aguardam por uma sinalização do governo federal em relação a disponibilidade de vacinas. "Tem nos deixado muito apreensivo essa lentidão", revelou. 

Ainda não trabalha com um número de doses, mas se houver disponibilidade  para garantir doses para todos os grupos que compõem as primeiras fases da vacinação a prefeitura tentaria, diz o prefeito. "Se tiver que fazer qualquer tipo de economia, a gente vai fazer para garantir a aquisição da vacina, caso o governo federal não providencie o imunizante para as pessoas e isso seja autorizado judicialmente".

Outro fator é que isso seja compartilhado com o Estado por se tratar de uma cidade localizada na região Metropolitana, onde há trânsito de pessoas de outros municípios. 

Outras cidades

Além da Serra, mais quatro cidades do Estado manifestaram interesse em participar do consórcio.

Em nota, a prefeitura de Linhares, no Norte do Estado, confirmou que demonstrou interesse em participar do consórcio, cujo um dos objetivos é a aquisição de vacinas contra a Covid-19. "Mas acompanha as tratativas para a viabilização e formalização do mesmo”.

Já a Prefeitura de Venda Nova do Imigrante, na região Serrana, informou que o prefeito Paulinho Mineti, assinou na terça-feira (01) um documento de manifestação de interesse de adesão ao consórcio público municipal para liderado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para aquisição de vacinas contra a Covid-19.

"A Prefeitura de Venda Nova do Imigrante, no momento, não tem como mensurar números de doses que serão adquiridas, uma vez que, assim como todos os municípios, está aguardando as definições do citado consórcio, que ainda serão decididas por meio de Assembleia Geral com a FNP. O consórcio é uma alternativa jurídica caso o Plano Nacional de Imunização não consiga dar conta de suprir toda a população. O objetivo é colaborar e contribuir para a vacinação em massa da população do Município. Reforçamos ainda, que o Município seguirá os grupos de vacinação de acordo com as determinações do Ministério da Saúde", destacou a nota.

As cidades de Itapemirim, no Sul do Estado, informou que registrou interesse em adquirir as vacinas, seja via direta ou via consórcio de municípios por entender que é a vacinação em massa é a forma de controlar a pandemia.

"Estamos dispostos a fazer os investimentos que forem necessários para vacinar 100% da população da nossa cidade. A nossa prioridade são as pessoas, embora também destacamos que a imunização será responsável pela normalização das atividades econômicas", disse a nota.

Aracruz, no Norte, também manifestou interesse no consórcio. 

Grande Vitória

A reportagem procurou as demais cidades da Grande Vitória para saber se têm interesse em fazer parte do consórcio para compra de vacinas, caso o governo federal não atenda a demanda dos municípios. 

Em nota, a Prefeitura de Vitória informou que "participou da reunião da Frente Nacional de Prefeitos e que o município tem interesse na aquisição de vacinas, tendo um papel complementar ao do Ministério da Saúde e ao Estado do Espírito Santo quanto às políticas públicas de saúde".

Já a Prefeitura de Vila Velha respondeu que continua negociando com um laboratório internacional a compra de vacinas para imunizar em massa os grupos prioritários da cidade. Porém, aguarda trâmite federal de aquisição, uma vez que o Governo Federal tem prioridade de compra.

"A gestão municipal está em contato direto com o laboratório para aquisição assim que estados e municípios estiverem autorizados. Detalhes da negociação não podem ser informados por conta da assinatura de um acordo de confidencialidade", disse.

Cariacica, por sua vez, informou que a secretária de Saúde Roberta Goltara e corpo técnico da pasta acompanharam a reunião da FNP. 

"Dedicada a realizar o combate à pandemia de maneira responsável e consciente, a Prefeitura de Cariacica vai analisar todos os critérios de compra que foram  apresentados durante o encontro, antes de tomar uma decisão sobre o assunto", afirmou a prefeitura em nota.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS