X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Casos de Covid, mortes e internações em hospitais aumentam no Estado

| 23/10/2020 19:05 h | Atualizado em 23/10/2020, 19:20

Hospital Dório Silva recebeu 15 leitos para tratamento de pacientes com Covid-19
Hospital Dório Silva recebeu 15 leitos para tratamento de pacientes com Covid-19 |  Foto: Giovani Pagotto/Governo-ES

Apesar do novo mapa de gestão de risco elaborado pelo governo do Estado trazer 77 cidades classificadas em risco baixo para transmissão do coronavírus e apenas uma no grupo de grau moderado, o governador Renato Casagrande fez um alerta para o aumento de alguns índices da doença no Espírito Santo. 

Durante o pronunciamento transmitido pelas redes sociais, no final da tarde desta sexta-feira (23), o chefe do Executivo informou que a média móvel de casos e mortes, principalmente na Grande Vitória, apresentou um leve crescimento. 

Casagrande afirma que isso não se trata de uma segunda onda da doença no Estado, mas pede que as pessoas continuem com as medidas de proteção, como uso de máscara, distanciamento e higienização de mãos com álcool em gel, para evitar que as estatísticas voltem a crescer. 

"Os números estão emitindo um alerta para nós de que a doença não está controlada", afirmou o governador. 

Segundo ele, além do aumento na média móvel de casos e mortes, também foi registrada elevação no índice de positividade para Covid-19 nas amostras analisadas pelo Laboratório Central do Estado, o Lacen.

"Já chegamos a 70% de positividade no pico da doença. De 100 amostras que chegavam ao Lacen, 70 confirmavam a Covid. Há algumas semanas, chegamos a ter de 26 a 28%. Reduzimos muito a positividade. Nessas últimas duas a três semanas, a positividade aumentou novamente e estamos chegando a 40%, um pouco mais, às vezes, mas em torno de 40% de positividade em média. Esse é um dado que tem que ser observado", avisou ele.

Outro dado que precisar ser observado, de acordo com ele, é a demanda por internações. Na rede privada, houve um aumento nas últimas semanas por leitos em hospitais. No entanto, Casagrande garante que nas redes públicas e filantrópica a procura segue estável. 

Atualmente, o Estado dispõe de 397 leitos de UTI para tratamento de pacientes com Covid-19 e 70,28% deles estão ocupados. Porém, caso a demande aumente, o governo tem condições de ampliar a capacidade para 715 vagas. Nesse universo, a taxa de ocupação atual é de 39,02%, de acordo com os dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS