X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Brasil soma 44 mil mortos e 890 mil casos de Covid-19

| 15/06/2020 20:36 h

Com 729 mortes registradas nas últimas 24 horas, o Brasil chegou ao total de 44.118 óbitos devido à pandemia do novo coronavírus. No total, 891.556 pessoas foram infectadas com a Covid-19 no país.

Os dados do Brasil foram compilados pelo consórcio entre Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo, G1 e UOL, em balanço divulgado às 20h desta segunda-feira (15). O levantamento é feito com a coleta de dados das Secretarias de Saúde dos estados.

Na sua 16ª semana de pandemia, o Brasil tem uma taxa de 20 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos e está cinco semanas adiante na pandemia, e o Reino Unido, que está em sua décima nona semana, têm 35 e 62 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Imagem ilustrativa do COVID-19 (novo coronavírus)
Imagem ilustrativa do COVID-19 (novo coronavírus) |  Foto: Cadu Rolim / Agência Estado

Na Argentina, onde a pandemia desembarcou nove dias mais tarde que no Brasil e que seguiu uma quarentena muito mais rígida, o índice é de 1,7 morte por 100 mil habitantes.

A comparação com os outros países e feita levando em consideração os dados consolidados pela Universidade Johns Hopkins, dos EUA. Até esta sexta, a instituição contabilizava mais de 7 milhões de casos do novo coronavírus em todo mundo e 423 mil mortes.

Na última sexta (12), o Brasil se tornou o segundo país com mais mortes por Covid-19. Dias antes, passou a marca de mais de 40 mil mortes, menos de três meses após o primeiro óbito por Covid-19, no dia 16 de março, em São Paulo. O primeiro caso de paciente com o diagnóstico da doença foi confirmado em 25 de fevereiro.

A iniciativa do consórcio de veículos de compilar e divulgar os dados sobre Covid-19 é uma resposta a atitudes recentes do governo Jair Bolsonaro, que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins, retirou informações do ar, deixou de divulgar totais de casos e mortes e divulgou informações conflitantes.

Após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), o portal do Ministério da Saúde que reúne dados sobre a epidemia voltou a informar no último dia 9 o total de mortes e casos acumulados até o momento. As informações haviam sido tiradas do ar no dia 5.

Nesta segunda, o governo federal divulgou o balanço, por volta das 19h, com o registro de 43.959 mortes e com 888.271 casos confirmados no país.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS