search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Construção de hospital é barrada em Guarapari

Notícias

Publicidade | Anuncie

Cidades

Construção de hospital é barrada em Guarapari


Construção de hospital em Guarapari é alvo de ação dos Ministério Público (Foto: Divulgação)
Construção de hospital em Guarapari é alvo de ação dos Ministério Público (Foto: Divulgação)

A construção de um hospital em Guarapari está sendo alvo de uma ação dos Ministérios Público Federal (MPF) e Estadual (MPES), que entraram com uma ação civil pública na Justiça Federal apresentando falhas na execução do contrato firmado entra a União, a Caixa Federal e o município para a construção da estrutura. Os órgãos fiscalizadores querem a suspensão imediata do contrato, alegando falhas na execução. A prefeitura tem 5 dias para se manifestar sobre o pedido liminar apresentado na ação.

No ano passado, um relatório da Controladoria Geral da União (CGU), declarou que a construção do hospital pode ser um desperdício de dinheiro, pelo fato da prefeitura não comprovar como a unidade irá funcionar.

Para os MPs, não houve demonstração da real necessidade da construção de um hospital municipal em Guarapari, principalmente quando confrontado com as necessidades e a realidade dos serviços públicos de saúde em todo o estado.

“A propósito, a construção e manutenção de um hospital municipal é tão complexa que nem mesmo o município de Vitória, capital do Espírito Santo e um dos municípios com maior PIB per capita do Brasil, possui hospital municipal”, diz a ação.

O hospital teve o projeto apresentado pela prefeitura de Guarapari desde 2011. O Hospital Maternidade Cidade Saúde terá 143 leitos de internação, sendo 100 leitos de internação geral, três leitos de parto normal e 40 leitos UTI assim distribuídos 10 leitos de UTI neonatal, 10 leitos de UTI pediátrica, 20 leitos de UTI adulto, além do centro cirúrgico com cinco salas, cinco consultórios, sala de acolhimento obstétrico, farmácia central, lavanderia, vestiário de funcionários, central de material esterilizado, setor administrativo e auditório. O repasse pelo Ministério da Saúde é de R$ 23.824.462.

Há oito dias, o prefeito Edson Magalhães visitou as obras e disse que o hospital estava em fase final da superestrutura e climatização.

“Nós estamos com aproximadamente 40% da obra concluída, o município já fez a sua contrapartida e as medições estão na Caixa Econômica. A obra está seguindo o seu cronograma e estamos muito otimistas. Queremos entregar o hospital o mais rápido possível para a população”, disse o prefeito na época. prefeito.

Em nota, a prefeitura informou que todos os esclarecimentos serão apresentados dentro do prazo estipulado.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados