search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Conselho de Medicina libera consultas virtuais

Notícias

Publicidade | Anuncie

Coronavírus

Conselho de Medicina libera consultas virtuais


O Conselho Federal de Medicina (CFM) liberou na tarde de ontem a realização de consultas médicas pela internet (telemedicina). A prática será utilizada, excepcionalmente, por causa do avanço de casos de coronavírus no País.

A ideia é ajudar no combate à doença e reduzir o fluxo de paciente em hospitais. A telemedicina utiliza tecnologias para prevenção de doenças e lesões, podendo ser realizada com consultas em tempo real de forma online, ou gravada em modo offline. As modalidades incluem orientação, monitoramento e consulta online.

As consultas podem ser feitas de forma remota, com médico e paciente localizados em diferentes espaços, segundo o Conselho Regional de Medicina no Espírito Santo (CRM-ES).

Conforme ofício do CFM, a medicina a distância só será utilizada enquanto durar a pandemia.

O presidente do CRM-ES, Celso Murad, informou na tarde de ontem que equipamentos que vão possibilitar as consultas virtuais foram apresentados em reunião com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

“Já está autorizado o uso. Aos poucos, todo o Estado estará esquipado. Nós já temos esse hábito e nossos profissionais já estão instruídos para usar”, afirmou.

Ainda de acordo com Celso Murad, o principal objetivo da telemedicina é preservar a saúde do agente de saúde e do paciente.

Pré-consultas e orientação virtuais sobre o coronavírus são formas de evitar a ida desnecessária de pacientes a postos de saúde e hospitais. Médicos voluntários poderão responder dúvidas pelas redes sociais.

Não há impedimento legal para que os médicos orientem seus pacientes utilizando chamadas de áudio e vídeo.

Em 2019, o Conselho Federal de Medicina chegou a publicar uma norma sobre telemedicina, que foi revogada. O texto previa que o primeiro atendimento fosse feito presencialmente, o que não valeria para pacientes isolados.

 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados