search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Comerciante morre após ser atropelada na calçada em Cariacica

Notícias

Publicidade | Anuncie

Polícia

Comerciante morre após ser atropelada na calçada em Cariacica


Tânia Maria Ferreira morreu neste sábado (Foto: Acervo Pessoal)
Tânia Maria Ferreira morreu neste sábado (Foto: Acervo Pessoal)

Uma comerciante de 56 anos morreu após ser atropelada enquanto estava na calçada, perto de casa, com dois netos pequenos, no final da tarde de sábado (11). De acordo com a família, o motorista do veículo que atingiu Tânia Maria Ferreira estaria bêbado e não tinha carteira de habilitação. Esta informação, no entanto, não foi confirmada pela polícia.

A comerciante estava em Santa Rosa, Cariacica, com a neta de 4 anos no colo, sentada em uma cadeira. Outro neto, de 11, também estava na calçada com ela. Por volta das 17h30, o condutor de um Volkswagen Santana verde perdeu o controle do veículo e foi em direção aos três.

"O carro entrou na curva, derrubou o portão e imprensou ela na parede. Ela ainda salvou a neta, jogando a menina para o irmão pequeno segurar. Mas infelizmente não resistiu", relatou o vigilante Leonides Repke Beling, 41, genro da vítima.

Depois do acidente, o condutor do veículo saiu do local, segundo testemunhas, e se entregou à polícia. Segundo o vigilante, o suspeito é morador de Santa Rosa e conhecido no bairro. "O pessoal está todo chocado com essa tragédia", lamentou Leonides.

Querida na região, a comerciante cuidava de todos. "Ela era o alicerce da família. Cuidava do esposo doente, dos pais de idade. Vai fazer uma falta enorme, não só para a família mas para o bairro todo", afirmou o vigilante.

O que revolta é a família é a sensação de impunidade. "O sentimento é de tristeza e de revolta, porque sabemos que nossa Justiça é muito falha. Ele foi preso mas em uma semana vai estar na rua de novo", declarou o genro. Até a publicação desta matéria, a polícia não tinha respondido sobre a autuação do suspeito.

Entrar no grupo do WhatsApp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna Online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados