Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Tribuna Livre

Tribuna Livre

Colunista

Redação A Tribuna

Naturalidade e tecnologia são tendências do mercado de beleza

| 17/06/2022, 11:07 11:07 h | Atualizado em 17/06/2022, 11:07

No Brasil, o mercado de beleza e estética vem crescendo a cada ano. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), nos últimos cinco anos, o segmento acumulou crescimento de mais de 500%. 

Para este ano, a previsão é de que o mercado continue crescendo, devido principalmente a mudanças no comportamento do consumidor.  A tendência é a busca por uma beleza natural, cuidados personalizados e uso cada vez maior da tecnologia.

A busca por uma beleza mais natural se intensificou nos últimos anos. A preferência por tratamentos, produtos e cosméticos que deixam a beleza natural em evidência impulsiona o chamado segmento de “clean beauty”. 

Dados da Nielsen apontam que os produtos considerados limpos (livres de parabenos, sulfatos, corantes e fragrâncias artificiais, entre outros ) alcançaram crescimento de 8,1% nos Estados Unidos – cerca de US$ 406 milhões. Os brasileiros também seguem essa tendência com a busca, além de produtos, de tratamentos com resultados mais naturais.

Os consumidores estão procurando cada vez mais por soluções  que sejam feitas para eles. Assim, profissionais e empresas de beleza e estética que queiram se manter em evidência devem apostar em tratamentos personalizados. 

Temos observado nos últimos anos um aumento da autoaceitação das pessoas a respeito de suas características físicas naturais seja quanto ao cabelo, ao peso ou à cor da pele. Os profissionais de estética devem se atualizar para oferecer serviços que respeitem e valorizem seus clientes. Afinal, os consumidores não querem mais ter a “mesma cara”, só porque está na moda.

Outra tendência atual é o uso da tecnologia para realizar procedimentos cada vez menos invasivos. Porém, que trazem resultados semelhantes aos procedimentos cirúrgicos. Dois exemplos dessas tecnologias são a blefaroplastia não-cirúrgica e o lifting de papada – que podem ser feitos com caneta ultrassônica.

A blefaroplastia visa combater a flacidez das pálpebras. Com o método cirúrgico, exige uma longa recuperação que pode durar até um ano. Com a tecnologia sem cortes, classificada como procedimento não-cirúrgico, a recuperação dura cerca de uma semana com resultado idêntico ao cirúrgico.

A melhoria do aspecto da papada, que é acúmulo de pele ou gordura entre o queixo e pescoço, também pode ser feita por meio da tecnologia de cauterização ultrassônica. Os resultados são perceptíveis no aspecto da pele e na redução da flacidez.

Nos últimos anos verificou-se aumento da procura por procedimentos estéticos não-invasivos. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), os procedimentos não-cirúrgicos tiveram crescimento de cerca de 83%, de 2009 a 2018. 

Os brasileiros estão cada vez mais preocupados com a beleza, isso é fato. Com o surgimento de novas tecnologias, pessoas que antes não faziam intervenções estéticas por terem medo de cirurgia ou achavam o tempo de recuperação longo, agora procuram por estes procedimentos.

JU AGUIAR é empresária e especialista em micropigmentação

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS