Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Tribuna Livre

Tribuna Livre

Colunista

Leitores do Jornal A Tribuna

A importância do médico em uma era de Inteligência Artificial

Coluna foi publicada nesta quarta-feira (18)

Leonardo Lessa | 18/10/2023, 14:42 14:42 h | Atualizado em 18/10/2023, 14:43

Imagem ilustrativa da imagem A importância do médico em uma era de Inteligência Artificial
Leonardo Lessa é presidente da Associação Médica do Estado |  Foto: Divulgação

No mês em que celebramos o Dia do Médico, 18 de outubro, data que reconhece e homenageia aqueles que dedicam suas vidas a cuidar da saúde da humanidade, temos um momento para refletir sobre a importância desse profissional e também para abordar os desafios que a medicina enfrenta em uma era onde a Inteligência Artificial (IA) está se tornando cada vez mais proeminente.

A medicina é uma das profissões mais antigas e essenciais para a sociedade. Os médicos desempenham papel fundamental na prevenção, no diagnóstico e tratamento de doenças, aliviando o sofrimento humano e prolongando vidas. No entanto, à medida que a tecnologia avança, muitos se perguntam se os médicos um dia serão substituídos por máquinas e algoritmos.

É inegável que a Inteligência Artificial e os aplicativos de saúde baseados em IA têm feito avanços significativos na área médica. Essas ferramentas podem identificar doenças com precisão e sugerir tratamentos com base em vastos conjuntos de dados.

No entanto, é importante destacar que a medicina não é apenas uma ciência biológica, mas também uma ciência humana. Ela lida não apenas com corpos físicos, mas também com seres humanos únicos, com suas experiências, emoções e contextos individuais.

Os médicos são muito mais do que detentores de conhecimento. Eles são cuidadores, ouvintes, conselheiros e aliados de seus pacientes. Eles entendem a importância de uma abordagem holística para o tratamento, levando em consideração não apenas os sintomas físicos, mas também o impacto emocional e psicológico de uma doença. Essa dimensão humana da medicina é algo que nenhum algoritmo ou máquina pode replicar com precisão.

Os aplicativos de IA podem fornecer informações valiosas, mas o poder de decisão ainda recai sobre os ombros dos médicos. E isso é fundamental, pois a medicina envolve escolhas complexas que vão além de uma simples análise de dados. Os profissionais consideram o histórico médico do paciente, suas preferências, seus valores e objetivos de vida. Eles avaliam os riscos e benefícios de diferentes opções de tratamento e adaptam suas recomendações às necessidades específicas de cada pessoa.

A empatia, a capacidade de comunicação e a habilidade de estabelecer vínculos com os pacientes desempenham um papel crucial no processo de cura. Os pacientes confiam em seus médicos não apenas por seu conhecimento técnico, mas também por seu apoio emocional e orientação durante momentos difíceis.

Outro aspecto importante a ser considerado é a ética na medicina. Os médicos enfrentam dilemas éticos complexos todos os dias. Tomar decisões difíceis envolvendo a vida e a morte de um paciente requer não apenas conhecimento, mas também compaixão e responsabilidade moral.

À medida que a Inteligência Artificial continua a evoluir, é importante lembrar que os médicos não estão em uma competição com máquinas, mas sim em uma colaboração. Enquanto a tecnologia avança, lembramos que o coração da medicina é, e sempre será, profundamente humano.

SUGERIMOS PARA VOCÊ: