Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Papo de Família

Papo de Família

Colunista

Cláudio Miranda

Geração canguru

| 25/06/2022, 16:15 16:15 h | Atualizado em 25/06/2022, 16:15

Quando nasce um filho os pais cuidarão dele da melhor forma para que cresça saudável física e emocionalmente, com condições de seguir com sua vida onde quer que seja, construindo e realizando seus sonhos. 

Os jovens normalmente saem de casa para estudar, trabalhar ou quando se casam. No entanto, a cada ano cresce o número filhos que optam por permanecer na casa dos pais.

Geração canguru é o nome dado ao grupo de jovens entre 25 e 34 anos que continua morando na casa dos pais mesmo na idade adulta. O canguru guarda o seu filhote na bolsa marsupial do nascimento até completar o seu desenvolvimento. 

Muitos pensam que quando os filhos atingem  18 anos  devem sair de casa para morar em outro lugar, estudar e trabalhar. Nos últimos anos, o número de jovens que permanecem na casa dos pais vem aumentando. 

Para algumas pessoas isso pode parecer um problema, mas pode não ser. Precisamos considerar que o modelo tradicional de família já não é o mesmo há muito tempo. 

Esse fenômeno costuma ser tratado como um problema de uma geração que é insegura e dependente dos pais e da família. No entanto, cada família tem seu modelo de relação e  educação. 

Pode ser que hajam filhos apegados aos pais e inseguros em relação a sua independência e liberdade fora de casa. Contudo, nem todo caso é assim. Morar com os pais necessariamente não é um problema. Quando moram juntos e dividem o trabalho da casa, as despesas, o cuidado e a proteção, nessa casa há  equilíbrio e harmonia.

Um aspecto ruim de um filho morar com os pais é quando existe uma dependência física, emocional e financeira deles. Morar com os pais não é um problema em si, mas os filhos devem ter um trabalho e contribuir no pagamento das contas e no cuidado da casa.

 Há filhos que moram com os pais por uma questão de comodidade, estudos, economia, apego emocional e bem-estar. 

O cuidado a se tomar é em relação a filhos adultos que não trabalham, não ajudam financeiramente e nem nos cuidados com a casa. 

Há casos mais graves em que os filhos desrespeitam os pais usando palavras ásperas e até agressões físicas. Alguns vivem dependentes dos pais sem um projeto de vida bem delineado. 

Nesse caso, a situação merece uma atenção diferenciada e pode sinalizar para um problema mais sério, de fundo emocional e comportamental.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS