Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Valendo

| 02/03/2021, 10:06 10:06 h | Atualizado em 02/03/2021, 10:13

Eduardo Leite (PSDB-RS) subiu o tom ontem contra Jair Bolsonaro como ainda não havia feito antes.

Ele convocou entrevista para rebater dados do governo federal sobre repasses a estados. Políticos viram como gesto relevante em meio à disputa interna do PSDB para 2022. Com Leite envolvido em corrida com João Doria (SP) pela vaga de candidato presidencial, aliados avaliam que ele se contrapôs ao Presidente sem parecer eleitoreiro e se diferenciou do governador paulista.

Baixinho
O governador disse que o comportamento do Presidente está matando pessoas na pandemia. Afirmou também que, caso Bolsonaro decida mudar de postura, ele está disposto a participar de qualquer diálogo. Colegas de partido viram nesse trecho como um diferencial importante com relação a Doria, por ter sido mais sereno.

Nada a ver
Nos bastidores, pessoas próximas de Leite negaram que a entrevista tenha tido objetivo de posicionamento para 2022.

Tô aqui
Quem também vai se mexer de olho em 2022 é o DEM. ACM Neto, presidente da legenda, e Luiz Henrique Mandetta vão fazer uma live juntos em suas contas no Instagram hoje, às 19 horas. Vão falar de política e, principalmente, do agravamento da pandemia, assunto em que o ex-ministro da Saúde consegue surfar.

Ferida
Os dois tiveram atrito recente. Mandetta criticou Neto no mês passado após o cacique ter dito à Folha de São Paulo que não descarta estar com Jair Bolsonaro na eleição de 2022.

Mensagens
Com a live, o partido tenta mandar dois recados: o de que, após quase implodir na eleição da Câmara, as coisas estão se arrumando, e o de que vai pelo menos tentar ver até onde o ex-ministro pode chegar na busca de se viabilizar como um nome para a eleição presidencial.

Cerca
O governador de Roraima, Antonio Denarium (sem partido), diz temer que a entrada de venezuelanos por meio de rotas clandestinas seja um elemento decisivo para que a rede de saúde do estado entre em colapso nas próximas semanas.

Muralha
Denarium afirma que há dias em que mais de 100 venezuelanos entram por esses caminhos e que pediu ajuda ao Exército para contê-los. A fronteira com o país vizinho está fechada desde março passado.

A gente combina
Hamilton Mourão desmarcou a reunião prevista para hoje com o presidente da Força Sindical, Miguel Torres. Como mostrou o Painel, o sindicalista ia levar ao vice Bolsonaro o pedido por auxílio emergencial no valor de R$ 600.

Semana que vem
A justificativa para o cancelamento foi o lockdown decretado no Distrito Federal. Mourão e o presidente da República se reuniram ontem.

Primordial
Enquanto o País acompanha a escalada no número de cidades e estados próximos ao colapso do sistema de saúde, o ministro Augusto Heleno (GSI) publicou ontem portaria com novos estandarte e brasão da pasta.

Parecido
O brasão traz a silhueta da deusa Atena, que na mitologia grega representa, segundo a portaria, a “civilização, da sabedoria, da estratégia em batalha, das artes, da justiça e da habilidade”. O uso do estandarte será disciplinado por regulamento das Forças Armadas.

Derruba
Cento e cinco organizações da sociedade civil vão enviar hoje carta conjunta ao presidente da Câmara pedindo a rejeição de todas as propostas que visam ampliar as hipóteses legais de excludente de ilicitude – atualmente são quatro projetos.

Nós
Entre as signatárias estão Pastoral Carcerária, MST e os institutos Sou da Paz, Marielle Franco e Vladimir Herzog.

Basta
A Associação dos Magistrados Brasileiros entrega amanhã no Congresso pacote com medidas para criminalizar casos de feminicídio.

Tiroteio
“O MEC tem provado ser não apenas omisso nos efeitos da pandemia, mas ineficaz na condução das ações mais básicas”

Da Priscila Cruz, presidente da ONG Todos Pela Educação sobre as 8.900 obras do Ministério da Educação abandonadas em todo Brasil.

MATÉRIAS RELACIONADAS