Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Tucano raiz

| 20/09/2021, 10:40 10:40 h | Atualizado em 20/09/2021, 10:42

A pesquisa Datafolha para o governo de SP mostra o desafio que o PSDB terá para fixar junto ao eleitor que Rodrigo Garcia será seu representante na urna. Geraldo Alckmin, de saída da legenda, obtém 48% entre os simpatizantes do partido.

Já Garcia, no cenário sem o ex-governador, fica com apenas 9% dos votos tucanos, bem atrás de Márcio França (PSB), com 34%, e Guilherme Boulos (PSOL), que marca 21%. O atual vice-governador empata com Fernando Haddad (PT), com 7%.

Cautela
Geraldo Alckmin chega a 35% entre os que consideram ótimo ou bom o governo de João Doria. Isso poderá exigir que ele calibre bem os ataques à administração do ex-pupilo e atual adversário político na campanha.

Em família
O Datafolha mostrou como os eleitorados de Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL) se confundem. O ex-prefeito chega a 22% de apoio entre psolistas em um dos cenários testados, enquanto o líder sem-teto obtém até 18% entre petistas. A pesquisa deverá reanimar as conversas sobre uma união eleitoral entre os dois.

Apelo
Os 6% obtidos pelo ministro Tarcísio Gomes na pesquisa, em empate técnico com Rodrigo Garcia, vão aumentar a pressão dos bolsonaristas para que o titular da Infraestrutura se candidate ao Bandeirantes. Ele tem dito que prefere tentar o Senado.

Supera
Membros da direção do PT dizem não ver relevância em retomar a discussão sobre a facada em Jair Bolsonaro. Mais ainda, creem que o debate só favorece o presidente. Parlamentares do partido têm repercutido a tese de que o ataque foi encenado, em razão do novo documentário "Bolsonaro e Adélio, Uma Fakeada no Coração do Brasil".

Tiro no pé
Requentar isso só ajuda o Bolsonaro. Não podemos ficar dando munição a ele. Temos que ter outra pauta", diz José Guimarães (CE), vice-presidente do PT. Outros integrantes da direção têm argumentado no mesmo sentido, mas reservadamente.

Largada
O PT do Rio Grande do Sul antecipou-se aos demais partidos de esquerda e lançou o nome do deputado estadual Edegar Pretto como seu candidato a governador no ano que vem. A escolha uniu os dois principais caciques da sigla no estado, que no passado frequentemente disputaram a hegemonia interna, os ex-governadores Olívio Dutra e Tarso Genro.

Veja só
O ministro das Comunicações, Fábio Faria, apresentou projeto de lei que propunha o chamado "passaporte da vacina" na rede de ensino pública quando era deputado federal, em 2019. O presidente Jair Bolsonaro vem atacando gestores que exigem comprovante de vacinação contra Covid-19 para frequentar espaços públicos e privados.

Restrição
O projeto de Faria, atualmente licenciado do mandato de deputado pelo Rio de Grande do Norte, determinava que a carteira de vacinação fosse requisito para matrícula escolar em todos os níveis de educação e nas universidades quando o aluno fosse menor de idade.

Veja bem
O ministro afirmou ao Painel que o contexto na ocasião era outro, pré-pandêmico, e que o projeto de lei tratava de vacinas obrigatórias. O texto não chegou a ser votado em plenário na Câmara.

Fazer amigos
Depois de enviar avião da FAB para ir buscar o presidente de Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, para uma visita oficial ao Brasil, Jair Bolsonaro tenta convencer outro líder africano a vir ao país. Ele enviou em 31 de agosto uma carta ao presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, sugerindo que ele agende viagem ao Brasil.

Passa em casa
Estou convencido de que a visita de Vossa Excelência representará oportunidade valiosa para fazermos avançar o comércio, a cooperação e o entendimento mútuo entre Brasil e Quênia", afirma Bolsonaro na carta. Ainda não houve resposta do líder africano ao convite.

Memória
O Centro Ruth Cardoso, dedicado à antropóloga e primeira-dama que morreu em 2008, estreia nesta segunda (20) seu novo site (centroruthcardoso.org.br). A entidade foi criada em 2009, com a missão de preservar a memória e a obra acadêmica de Ruth, além de fomentar debates sobre políticas sociais e ciências humanas.

Tiroteio
“Vamos ter saudade do Quércia. O PSDB em São Paulo acabou. Estão prometendo tudo para todo mundo”
De Pedro Tobias, ex-presidente do PSDB-SP, sobre atitudes do partido contra o ex-governador Geraldo Alckmin, seu aliado.

MATÉRIAS RELACIONADAS