Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Termômetro

| 17/03/2021, 09:48 09:48 h | Atualizado em 17/03/2021, 09:51

Os protestos inéditos de corporações policiais contra Jair Bolsonaro, marcados para hoje, têm entre os motivos alegados a sensação das categorias de que não estão sendo valorizadas pelo Presidente em um momento em que participam da linha de frente da ação contra a Covid-19.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está com 119 servidores afastados e registra nove óbitos. Na Polícia Federal, 11 morreram até agora e há um caso para cada 10 servidores.

Luto
Neste fim de semana, a morte de um escrivão da Polícia Federal, Hélido Menezes, chocou colegas de corporação. Ele tinha 42 anos. A morte foi causada por sequelas da Covid-19.

Contexto
O pano de fundo da insatisfação é a PEC Emergencial, aprovada pelo Congresso, que congela salários de servidores, entre eles os policiais. Apenas progressões e promoções de carreira foram poupadas na proposta.

True news
Em resposta a ação de Maranhão e Bahia contra o governo federal por publicações de Jair Bolsonaro e da Secretaria de Comunicação sobre repasses a estados, a Advocacia-Geral da União (AGU) diz que não há fake news no conteúdo.

Bololô
A AGU cita nota que fala em “ressentimento político” e diz que as informações não precisam ser dispostas como querem os governadores. Eles dizem que Bolsonaro misturou diversos valores propositadamente, inclusive transferências constitucionais, para jogar a opinião pública contra os gestores estaduais.

Barbas...
O mistério sobre o conteúdo dos frascos apresentados em reunião entre o deputado Nelson Barbudo (PSL-MT) e Marcos Pontes, do Ministério da Ciência e Tecnologia, persiste até mesmo para o proponente da reunião.

...De molho
Nas redes sociais, a pasta disse que Barbudo apresentou “um projeto de pesquisa como mais uma ação no enfrentamento à pandemia provocada pelo novo coronavírus”. Um vídeo mostra um rapaz entregando frascos a Pontes, cena que viralizou na internet.

Surpresa
O deputado diz ao Painel que foi “procurado por um jovem cientista que tinha elementos para pesquisas” e o apresentou ao ministério. “Daí para diante não tenho elementos técnicos”. Sobre os frascos, diz que “trataram daquilo sem mim”.

Sebo...
Em mensagens enviadas por WhatsApp em fevereiro, Walace Sampaio, presidente do sindicato dos comerciantes de Bauru, fala em colocar fiscais da vigilância sanitária para correr e descreve ações nesse sentido. A taxa de ocupação de leitos na cidade é de 118% atualmente.

...Nas canelas
Em uma delas, ao saber que uma loja havia, segundo ele, sido notificada por permitir a entrada de clientes, ele diz ter acionado seus contatos, que então alcançaram os fiscais. “Depois de uma pequena discussão, sem violência, foram botados para correr e sumiram de lá”.

O todo
Ele diz ao Painel que as frases foram retiradas de contexto e que os diálogos “foram frente a denúncias de prepotência e arrogância dos fiscais com ameaças de fecharem as lojas”. Ele diz que “botar para correr” foi uma frase dita informalmente.

Pedra
O Ministério Público Federal abriu inquérito civil para investigar os pagamentos feitos por Daniel Silveira (PSL-RJ) com dinheiro da Câmara a uma empresa de segurança. A Global Company, que recebeu R$ 184 mil, está registrada em nome de um amigo do deputado e não tinha autorização da Polícia Federal para funcionar. O caso foi revelado pelo jornal O Globo.

Sobrando
Dez parlamentares do PSB pediram ao Procurador-Geral da República, Augusto Aras, para incluir na apuração sobre as compras de iguarias pelas Forças Armadas os processos de aquisição de milhares de quilos de bacalhau, outros mais de salmão, incluindo 100 kg do medalhão do peixe cujo quilo custa R$ 240, e 1 milhão de quilos de filé mignon bovino.

Fonte
De acordo com a representação encaminhada à PGR, os dados foram coletados no painel de preços do Ministério da Economia e confirmados no site Comprasnet, onde ficam registrados os pregões de compras do governo.

Tiroteio
“Inadmissível esse tipo de postura de um gestor público. Agora, nada estranho vindo do governo Bolsonaro”.
De Jesus do Santos (PDT-SP), da Frente Nacional Antirracista, sobre denúncias de assédio moral contra o presidente da Fundação Palmares.
 

MATÉRIAS RELACIONADAS