Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Passos de bebê

| 12/12/2019, 08:39 08:39 h | Atualizado em 12/12/2019, 08:42

Sem recursos para financiar toda a reformulação do Bolsa Família em uma única tacada, o governo estuda implantar o novo programa em duas fases. A primeira entraria em 2020 e a segunda, só em 2021.

Para o ano que vem, a equipe econômica sugeriu reservar um adicional de apenas R$ 3,6 bilhões no Orçamento para fazer frente aos gastos extras. A cifra corresponderia a cerca de um quarto do valor estimado para colocar de pé a revisão completa pretendida por Jair Bolsonaro.

Cobertor curto
Segundo parlamentares a par do Orçamento, para garantir os recursos extras necessários em 2020, o governo federal cogita desidratar outros programas sociais, como o seguro-defeso, pago a pescadores.

Na folhinha
A análise sobre como fatiar a entrada do novo Bolsa Família e como financiar o programa não foi concluída e, por isso, a cerimônia de lançamento, prevista para hoje, foi adiada.

Puxa daqui...
O PSL vai questionar ao menos dois pontos da decisão judicial que sustou a punição a 18 deputados da sigla. Eles discordam de que não houve notificação aos acusados e questionam o juiz selecionado para o caso.

...Puxa de cá
Já os advogados dos parlamentares punidos alegam que a conduta da atual líder, Joice Hasselmann (PSL-SP), ontem, confirmaria a tese de que há perseguição aos insatisfeitos dentro do PSL. Joice teria exonerado funcionários da gestão anterior e negado atendimento aos afastados, argumentam.

Tese
O abuso é um dos argumentos que a Aliança tenta emplacar no TSE para garantir que os deputados que deixem o PSL não percam os cargos.

Paralisado
Os parlamentares suspensos dizem já ter as assinaturas suficientes para reconduzir Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) à liderança. Na cúpula do PSL, a avaliação é de que a nova rodada de listas renove as intrigas internas.

Gangorra
Pesquisa da CNT (Confederação Nacional do Transporte) que será divulgada hoje mostra que a lenta recuperação da economia brasileira, ao longo deste ano, não se refletiu no setor.

Gangorra II
Enquanto o PIB cresceu 1% de janeiro a setembro, o do segmento de transportes –formado pelos modais rodoviário, ferroviário e aéreo– caiu 0,1%.

Teimosia
A divisão do PSDB em dois na escolha do novo líder do partido na Câmara dos Deputados provocou uma corrida por apoios de última hora, ontem. Emissários de um dos candidatos, Beto Pereira (MS), teriam ido ao hospital onde está internada Tereza Nelma (AL) em busca de sua assinatura. A investida chocou a bancada feminina.

Cronômetro
A ala de Pereira, liderada pelo governador João Doria, apresentou na noite de ontem uma lista com 17 apoiadores, de um total de 32 parlamentares – até o meio da tarde tinha 16.

Quem dá mais
O grupo oposto, liderado por Aécio Neves (MG) e que tem como candidato Celso Sabino (PA), porém, promete não deixar barato e deve questionar as assinaturas da lista rival.

Grito de independência
Tucanos dos dois grupos convergem, porém, nas críticas à atuação do atual líder, Carlos Sampaio (SP). Queixam-se de que os tucanos ficaram apagados na Câmara e que filiações de grande repercussão, como a Alexandre Frota (PSDB-SP), foram feitas à revelia da maioria.

Plano B
O líder do governador na Assembleia paulista, Carlão Pignatari (PSDB), convocou os deputados para sessões extraordinárias na noite de ontem. Aliados diziam que ele tinha esperança de que saísse decisão do STF liberando a votação da reforma da Previdência.

Plano B II
Os tucanos usaram o tempo extra para acelerar a tramitação de projeto de apoio ao texto principal da reformulação das aposentadorias.

Tiroteio
“A fake news da droga nas universidades era para esconder substância pesada plantada no MEC: teoria olavista na TV estatal”

Do deputado Alexandre Padilha (PT-SP), sobre a TV Escola exibir série com entrevistas de Olavo Carvalho e revisionismo histórico.

Publicação simultânea com a Folha de São Paulo

MATÉRIAS RELACIONADAS