Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Onde está você agora?

| 18/07/2022, 10:39 10:39 h | Atualizado em 18/07/2022, 10:40

Em desabafo a aliados, Paulo Skaf (Republicanos) tem dito que se sente traído por Jair Bolsonaro (PL) em sua candidatura ao Senado. O ex-presidente da Fiesp tem destacado que foi um apoiador leal do presidente nos últimos anos e que agora raramente é mencionado em público por ele. 

Skaf tem afirmado que Bolsonaro nunca esqueceu que ele se aproximou de Márcio França (PSB) e Geraldo Alckmin (PSB) em 2021. Esses interlocutores dizem crer que o empresário pode até desistir da disputa.

Fila

Até José Luiz Datena (PSC) abandonar a candidatura, Bolsonaro vinha exaltando o apresentador para o Senado em São Paulo. O ex-ministro Marcos Pontes passou a ser cogitado agora, em mais um sinal de desprestígio para Skaf.

Encostou

O empresário também diz ter ficado desapontado com Josué Gomes, seu sucessor na Fiesp. Ele avalia que a instituição poderia dar mais apoio ao seu projeto eleitoral e se queixa de que pessoas de sua confiança foram tiradas de postos-chave e hoje têm pouca influência internamente.

Jair e sua moto

Em áudio no WhatsApp, o empresário rural Elusmar Maggi, primo do ex-ministro Blairo Maggi e irmão de Eraí Maggi (conhecido como “rei da soja”), diz que Bolsonaro é “ruim de serviço” e um “simples motoqueiro”.

Calculadora

“O armazém que está aí do lado é dinheiro que o PT deu. Jurinho de 2,5%, 13 anos para pagar, três anos de carência”, afirma Elusmar. O áudio vazou para as redes sociais. Uma ala do agronegócio no MT, estado dos Maggi, tem se aproximado da chapa petista.

Livre

A Bom Futuro, empresa da qual Elusmar é sócio, diz que não se manifesta sobre posicionamentos pessoais dos acionistas, mas que preza pela liberdade de expressão deles.

Rebate

A OAB diz que, caso necessário, irá ao STF para defender a lei que restringe operações policiais em escritórios de advocacia. A Associação dos Delegados da Polícia Federal decidiu acionar a corte contra ela, como mostrou o Painel.

Perigo

Aliados do governador Rodrigo Garcia (PSDB) dizem estar cada vez mais preocupados com a possibilidade de que Ricardo Nunes (MDB) apoie Tarcísio de Freitas (Republicanos) caso o tucano não escolha Edson Aparecido (MDB) como vice.

Ele ou eu

Na prefeitura, secretários afirmam que Nunes tem dado a entender que pretende levar essa disputa pelo vice até as últimas consequências. Tucanos da gestão municipal dizem que, caso o prefeito se alie a Tarcísio, eles pedirão as contas.

Brasa

Nunes diz ao Painel que apoiará Garcia e que estão tentando “colocar gasolina em uma fogueira apagada”.

A casa é sua

Membros paulistas do antigo DEM dão como certa a migração de Rodrigo Garcia ao União Brasil depois das eleições. O governador fez toda sua carreira na legenda que se fundiu ao PSL para formar o novo partido.

Razões

Além da afinidade política, eles elencam dois motivos para a movimentação: Garcia foi para o PSDB pelas mãos de João Doria, que diz ter deixado a política, e ele sonha em se lançar à Presidência em 2026, projeto que seria mais viável no maior partido do Brasil, e não em uma sigla que hoje está rachada.

Eixo

Candidato do PDT ao governo de São Paulo, Elvis Cezar propõe um desconto de 50% no valor do pedágio durante a noite para caminhões. O objetivo é o de gerar queda acentuada no frete e no valor dos produtos, além de redução de veículos nos horários de pico.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS