Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Não costuma faiá

Coluna foi publicada nesta quinta-feira (28)

Painel da Folha de São Paulo | 28/03/2024, 10:47 10:47 h | Atualizado em 28/03/2024, 10:46


Imagem ilustrativa da imagem Não costuma faiá
Governo Lula deve adotar a frase "Bote Fé no Brasil" em suas propagandas a partir de abril |  Foto: Ricardo Stuckert

O governo Lula adotará a frase “Bote Fé no Brasil” em seu material publicitário a partir de abril. A ideia é ao mesmo tempo sinalizar com melhorias para a população e fazer um aceno ao eleitorado evangélico.

Segundo o ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação Social, a expressão faz referência à meta de tornar 2024 o “ano das entregas”. Já a menção a “fé” está em linha com a necessidade de estabelecer um diálogo com este segmento, notoriamente refratário ao presidente.

Catálogo

Pesquisas têm detectado uma piora na avaliação do governo Lula. Uma das prioridades do governo para reverter o processo é acelerar os resultados concretos de programas sociais. “O governo tem um slogan, que é uma espécie de guarda-chuvas: “União e Reconstrução”. Em determinados períodos, frases são destacadas atendendo a situações específicas”, diz Pimenta.

13 tons

O PT criou uma comissão para avaliar casos de candidatos que se identificam como negros apenas para obter fatia maior do fundo eleitoral. O modelo são as bancas de heteroidentificação de universidades. Será a primeira vez que o partido lançará mão do instrumento. “A resolução vem para permitir que as pessoas que verdadeiramente têm direito aos recursos para negros possam obtê-los, sem nenhuma possibilidade de engano”, diz Martvs das Chagas, secretário de Combate ao Racismo do partido.

Exceção

Embora tenha vetado alianças com partidos de fora do arco de esquerda na eleição, o Psol abriu uma brecha para coligações mais ao centro. Elas poderão ser autorizadas a partir de uma avaliação das instâncias da legenda. Se um partido como PSDB ou MDB apoiar o governo Lula em determinada cidade e fizer oposição ao bolsonarismo no local, poderá se unir aos psolistas.

Hermanos

O chanceler da Venezuela, Yvan Gil, compartilhou posts no X de João Pedro Stedile, em que o líder do MST rebate as críticas do Itamaraty ao processo eleitoral no país vizinho. “A nota dos burocratas do Itamaraty é uma vergonha”, escreveu Stedile.

Elas

O governador Tarcísio de Freitas lança nesta quinta (28) o projeto São Paulo por Todas, com o objetivo de ampliar a visibilidade das políticas públicas voltadas para as mulheres. A ação pretende dar destaque a programas já lançados, como o Não Se Cale, de combate à importunação sexual, e o Abrigo Amigo, para a proteção em pontos de ônibus, além de novas iniciativas. Tarcísio vai reunir funcionárias do governo e a primeira-dama, Cristiane, para hastear 18 bandeiras do movimento no Palácio dos Bandeirantes.

Dor

O Governo de SP contratará mais 117 psicólogos para a rede estadual de ensino. O anúncio foi feito por Renato Feder, secretário de Educação, durante encontro na escola estadual Thomazia Montoro, zona oeste da capital. Exatamente há um ano, a escola foi alvo de ataque de um aluno de 13 anos. Uma professora morreu e três docentes e dois estudantes ficaram feridos.

Promissória

A Fentect, que representa trabalhadores dos Correios, contratou um escritório de advocacia para tentar recuperar parte do prejuízo que a entidade afirma ter sido provocado pelo banco americano BNY Mellon ao fundo de pensão Postalis. A intenção é reaver cerca de R$ 12 bilhões de perdas que a instituição teria gerado por ação temerária nos investimentos.

Bolo de rolo

O MDB vai manter o apoio ao prefeito de Recife, João Campos (PSB), em sua busca pela reeleição. A decisão é novo revés para a governadora Raquel Lyra (PSDB), que vê diminuir sua base de potenciais aliados para 2026.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

SUGERIMOS PARA VOCÊ: