Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Na mira

| 16/03/2021, 08:20 08:20 h | Atualizado em 16/03/2021, 08:22

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, está sendo investigado por suspeita de assédio moral contra funcionários. O inquérito foi aberto pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) no Distrito Federal.

O procurador vai ouvir mais de uma dezena de pessoas para saber detalhes do que está ocorrendo no órgão. A apuração, que está em sigilo, foi aberta após o MPT receber denúncias sobre suposta perseguição ideológica por “opiniões e posições políticas” diversas das de Camargo.

Tranca
A investigação ficou por semanas paralisada por causa da fundação. Segundo o Ministério Público do Trabalho, o órgão estava se recusando a enviar as informações exigidas no inquérito. O MPT teve que ir à Justiça cobrar os dados solicitados.

Outro lado
A Palmares foi procurada, mas não respondeu ao Painel até o fechamento desta edição.

Mais um
A Polícia Federal abriu ontem um inquérito para apurar negócios envolvendo Jair Renan, filho do presidente da República. A investigação mira uma empresa do 04 e sua atuação junto ao governo federal.

Pede música
A revista Veja mostrou em novembro que Jair Renan deu início à sua vida de empresário atuando para conseguir audiência em um ministério. O objetivo do encontro era tratar de interesses comerciais de um de seus patrocinadores. Um mês antes, o filho de Bolsonaro ganhou um carro elétrico do grupo.

Conflitos
A Folha mostrou em dezembro que a festa de inauguração da empresa do 04 teve serviços gratuitos de uma prestadora de serviços do governo federal.

Cadeado
Delegados federais reclamaram do ministro da Justiça, André Mendonça, em meio à irritação com Jair Bolsonaro por causa da derrota que tiveram na PEC Emergencial. Edvandir Paiva, presidente da associação de delegados, disse que as portas estão fechadas na pasta.

Ocupado
O delegado afirmou que a equipe de Mendonça remarcou “oito ou nove vezes” uma reunião agendada.

Cabeça
“Aí quando fizermos uma carta aberta dizendo que, se ele não tem condições de defender a PF, ele peça pra sair. Aí vou ouvir colegas dizendo que nós destruímos pontes, mas as pontes não existem hoje”, afirmou Paiva em uma das assembleias.

CV
Os secretários estaduais de Saúde disseram aprovar a escolha de Marcelo Queiroga como substituto de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde. Eles afirmam que o cardiologista conhece bem os problemas da saúde pública.

Joia
Eles também apontam que ele fez carreira participando de associações e sociedades médicas e que, além dos atributos profissionais, é "um gente boa". Queiroga foi avalizado principalmente por secretários do Nordeste.

Londe
Nos bastidores, os secretários afirmavam que Ludhmila Hajjar não conhecia questões políticas, o que era um ponto negativo.

Alô
O governador João Doria (PSDB-SP) telefonou ontem à presidente do PT, Gleisi Hoffmann, para tratar do caso do homem que gravou um vídeo em que ameaça dar tiros no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Tamo junto
A ideia do telefonema foi a de prestar solidariedade e também dizer que determinou ao secretário de Segurança Pública, general João Camilo de Campos Pires, que investigue o caso com o máximo possível de rigor. O próprio tucano tem sofrido com ameaças nos últimos meses.

Compromisso
Em reunião com centrais sindicais ontem, o tucano sugeriu fazer reuniões trimestrais com os grupos.

Boa ideia
Os líderes se animaram com o encontro e viram a possibilidade de o retorno de Lula ao páreo político ter feito com que Doria, com quem haviam tido raros contatos até então, se sensibilizasse aos seus pleitos.

Segurança
O senador Rogério Carvalho (PT-SE) vai apresentar um projeto de lei para propor o pagamento de pensão de R$ 1.100 ao menor de idade cujo genitor (desde que não filiado a regime de previdência social) morra em decorrência do coronavírus.

Tiroteio
“A Federação Paulista de Futebol continua mostrando que não tem qualquer respeito pela situação trágica do Estado de SP.”

De Miguel Nicolelis, neurocientista, sobre a decisão de transferir jogos do Paulista para MG para escapar das medidas restritivas.

MATÉRIAS RELACIONADAS